Tecnologia

Zuckerberg anuncia integração do Messenger, WhatsApp e Instagram

Novo projeto, ainda sem data para lançamento, focará na privacidade e proteção de dados dos usuários, afirmou o CEO da rede social

Zuckerberg anuncia integração do Messenger, WhatsApp e Instagram

O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou nesta quarta-feira (6) a integração do WhatsApp, Messenger e Instagram em uma única plataforma. Em um texto em seu perfil na rede social, Zuckerberg ressaltou a importância da proteção de dados dos usuários e as diferentes formas de comunicação entre as pessoas.

O primeiro passo da nova plataforma será unir os contatos dos três aplicativos. Porém, não há previsão de quando o novo modelo entrará em operação. “Quando penso no futuro da internet, acredito que uma plataforma de comunicações com foco em privacidade se tornará mais importante do que as plataformas abertas de hoje”, afirmou.

Zuckerberg, que há alguns anos comparou o Facebook a praça de uma cidade, definiu o novo projeto como uma “sala de estar”. A analogia é uma clara referência às constantes críticas que a rede social enfrenta pela manipulação e vazamento de informações dos usuários. De acordo com o comunicado, as mensagens na nova plataforma serão criptografadas, tecnologia que hoje existe apenas no WhatsApp.

“A privacidade dá às pessoas a liberdade de serem elas mesmas e se conectarem com mais naturalidade, e é por isso que construímos redes sociais”, afirmou o CEO do Facebook.

O anuncio da nova empreitada vem semanas após a divulgação da negociação entre o Facebook e as autoridades dos Estados Unidos do pagamento de uma multa bilionária para dar fim às investigações de irregularidades na companhia. Segundo matéria do The Washington Post, o valor pode chegar a US$ 2 bilhões. A penalidade é consequência do escândalo envolvendo a rede social e a Cambridge Analytica, quando 87 milhões de usuários tiveram suas informações privadas acessadas pela empresa de consultoria política.

O governo norte-americano abriu uma investigação contra o Facebook em março passado após uma série de denúncias. Se as partes não chegarem a algum tipo de acordo sobre a multa, a agência pode optar por levar a rede social para a Justiça.