Sustentabilidade

Xin Xin e Shuan Shuan: os únicos pandas do mundo que não pertencem à China

Com seu corpo volumoso e olhar carinhoso, os pandas fêmeas Xin Xin e Shuan Shuan são os hóspedes mais famosos do zoológico de Chapultepec na Cidade do México e também os únicos exemplares da espécie que não são propriedade da China.

Ao mesmo tempo, não são os últimos representantes de uma linhagem de pandas (considerada uma espécie vulnerável) que começou em 1975. Naquele ano, o governo chinês doou um casal ao México – Ying Ying e Pe Pe – como um gesto de boa vontade e os animais conseguiram se reproduzir com sucesso em Chapultepec.

No entanto, no final dos anos 80, o governo chinês mudou a política de doação de pandas e, desde então, apenas os empresta temporariamente em troca de dinheiro, que é utilizado para conservar a espécie.

Como descendentes de pandas que chegaram ao México antes de Pequim mudar sua política, Xin Xin e Shuan Shuan são considerados mexicanos.

Ambos são parentes de Tohui, filha de Ying Ying e Pe Pe. Talvez o panda mais famoso do México e o primeiro exemplar da espécie a nascer e sobreviver em cativeiro fora da China.

Tohui – cujo nome significa ‘criança’ na língua indígena Tarahumara – nasceu e 1981 e alcançou tanta fama entre a população que o cantor de pop mexicano Yuri cantou uma música que dizia: “Pequeno panda, você ainda não anda e queremos ver você brincar”.

“A partir daí, vieram outros pandas, irmãos e irmãs de Tohui”, contou à AFP Rafael Tinajero, diretor de conservação e bem-estar animal do departamento zoológico da capital.

“Com isso, o México se tornou o primeiro país fora da China com reprodução natural de pandas fora de seu habitat natural, em condições de cativeiro”, acrescentou.

Além de Tohui, outros sete pandas nasceram no México entre as décadas de 1980 e 1990, embora apenas quatro tenham sobrevivido. Com o tempo, os espécimes morreram devido a doenças ou velhice.

Shuan Shuan, 32 anos, é filha do primeiro casal que chegou ao México, enquanto Xin Xin, 29 anos, é a filha que Tohui teve com Chia Chia, um macho que chegou do zoológico de Londres.

O zoológico de Chapultepec monitora cuidadosamente a saúde dos ursos, que não se reproduzem e já excedem a média de 25 anos que um espécime vive em cativeiro.

Eles têm uma dieta rigorosa à base de bambu, arroz, maçãs, cenouras e croquetes especiais, preparados na “cozinha dos pandas” do zoológico. Também estão acostumados a seguir as instruções de seus cuidadores, facilitando os exames médicos, nos quais devem abrir o focinho ou ficar em pé com as duas patas.