Negócios

Wells Fargo alterou informações de clientes corporativos, dizem fontes

Alguns funcionários da unidade do Wells Fargo que lidam com negócios bancários alteraram de maneira inapropriada informações sobre documentos relacionados a clientes corporativos, de acordo com pessoas ligadas ao assunto. O comportamento gera questões sobre as práticas de gerenciamento de risco e os controles do banco, que já foi alvo de sanções em meses recentes de reguladores federais dos Estados Unidos por problemas nessas áreas. Às 10h52 (de Brasília), a ação do banco recuava 1,42% em Nova York.

Os funcionários da chamada unidade de atacado do Wells Fargo, separada de seu banco de varejo, acrescentaram ou alteraram informações sem o conhecimento de clientes, segundo pessoas ligadas ao assunto. O comportamento ocorreu em 2017 e no início de 2018, quando a companhia tentava cumprir um prazo para obedecer a uma determinação regulatória relacionada aos controles contra a lavagem de dinheiro, disseram as fontes. Os funcionários também trabalhavam para obter documentos antes das novas normas de outro regulador, segundo as fontes.

O Wells Fargo tomou conhecimento do fato nos últimos meses. Após investigações, o banco descobriu que não se tratava de um incidente isolado e o caso ainda é investigado, disse uma das fontes. A companhia reportou o problema ao Escritório do Controlador do Câmbio, um dos vários reguladores federais, completaram as fontes. A agência também apura o problema.

Um porta-voz do Wells Fargo afirmou que ele não comenta questões regulatórias e que o assunto envolve documentos usados para fins internos. Segundo o funcionário, nenhum cliente foi prejudicado, nenhum dado vazou da empresa e nenhum produto ou serviço foi vendido como resultado. O banco ainda prometeu ações rápidas para corrigir comportamentos inadequados. Fonte: Dow Jones Newswires.