Negócios

Warner anuncia seu serviço de streaming, o HBO Max, e Netflix perde Friends

Uma pesquisa feita no final de 2018 mostrou que 80% das visualizações da Netflix são de programas licenciados. Novos serviços podem minguar catálogo da empresa

Warner anuncia seu serviço de streaming, o HBO Max, e Netflix perde Friends

No final de 2018 surgiu a notícia na internet de que a Netflix perderia o seriado Friends de seu catálogo. A série, terminada há mais de 20 anos ainda é um sucesso de audiência no aplicativo, e um dos motivos o qual muitos pagavam a assinatura do streaming. Para evitar a grande perda, a Netflix desembolsou valor recorde de US$ 100 milhões para manter Ross, Rachel, Joey, Phoebe, Monica e Chandler por mais um ano no serviço. Porém passando 2019, a empresa não terá mais a possibilidade de renovação, uma vez que a WarnerMedia anunciou nesta terça-feira (9), o lançamento do serviço de streaming de seu conglomerado, o HBO Max.

Marcado para iniciar no primeiro semestre de 2020, o serviço de streaming terá conteúdos dos canais HBO (como os seriados Game oh Thrones e Westworld) e Warner (Big Bang Theory, Flash e Arrow). Foram anunciados também séries exclusivas para o HBO Max, como o thriller The Flight Attendant, da atriz Kaley Cuoco, uma série de antologias românticas protagonizada por Anna Kendrick além de um seriado do livro infantil, O Grinch. O filme Duna, clássico da ficção científica e que ganhará nova versão nos cinemas nas mãos do diretor Denis Villeneuve, terá exclusividade no serviço de streaming.

Não foram divulgados valores de assinatura, mas o atual serviço de streaming da empresa, HBO Go, custa R$ 34,90 mensais, mais alto que os R$ 21,90 cobrados pela Netflix em seu plano mais básico.

Mais do que um novo concorrente, a Netflix intensifica seu sinal de alerta, ligado com a Disney anunciou streaming próprio. O futuro indica que os grandes conglomerados do entretenimento caminham para terem serviços próprios, o que no longo prazo pode minguar a biblioteca de conteúdos da Netflix. Mais e mais a empresa de Reed Hastings terá que apostar em conteúdos próprios. Um levantamento feito no final de 2018 indicou que 80% das visualizações do streaming vem de programas licenciados, e que a tendência para 2019 era de que a empresa perdesse ao menos 20% de seu catálogo devido ao lançamentos de serviços rivais. A pesquisa não levou em conta a debandada dos programas da Warner (que além do canal homônimo e HBO, controla a New Line, DC Entertainment, CNN, TNT, TBS, truTV, The CW, Turner Classic Movies, Cartoon Network, Adult Swim, Crunchyroll, Rooster Teeth e Looney Tunes). Fosse feita hoje, os números podem ser mais desfavoráveis para a Netflix.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel