Negócios

WAP prepara uma faxina no Brasil

Crédito: Divulgação

Se a WAP é sinônimo de lavadoras de alta pressão, isso está prestes a mudar. Hoje, mesmo como carro-chefe da marca, a categoria representa menos de 30% das receitas da empresa. Há mais de dez anos, as vendas das máquinas lavadoras eram 80% do faturamento.

Quem vem roubando esse espaço é o robô aspirador, queridinho na pandemia, que, com um tíquete médio mais alto, já representa 12% da receita. Como líder de vendas, a WAP foi a marca que mais cresceu neste segmento, saltando de 2,5% em 2018 para 22% no começo de 2021, segundo a consultoria GFK. A perspectiva é dobrar a receita em 2021, que já supera R$ 500 milhões, e manter esse ritmo de crescimento nos próximos anos. “Até 2025, vamos ampliar o portfólio para atuar em um mercado de R$ 20 bilhões e atingir R$ 2 bilhões de receita”, disse Paulo Sanford,CEO da WAP no Brasil. “Daí em diante, a projeção é entrar em um universo com potencial instalado de R$ 81 bilhões e manter a ambição de alcançar os 10% de participação.” Para alcançar esses patamares, a empresa está de olho aqui no Brasil nos mercados de áudio, gourmet – em que a airfryer é um dos itens de maior destaque – ferramentas elétricas e climatização.

(Nota publicada na edição 1239 da Revista Dinheiro)