Dinheiro em Ação

Votorantim e CPPIB criam elétrica de R$ 17 bilhões

Crédito: Divulgação

O Grupo Votorantim e o fundo de pensão canadense Canada Pension Plan Investment Board (CPPIB), controladores indiretos da Cesp, decidiram unir seus ativos de energia elétrica criando uma empresa avaliada em R$ 17 bilhões. A nova companhia junta a Cesp, a empresa de geração renovável VTRM e a comercializadora de energia Votener. A junção das operações se inicia com a VTRM, uma joint venture entre a Votorantim e a canadense que detém ativos eólicos e solares e receberá um aporte de R$ 1,5 bilhão. Dessa forma, após a operação, Votorantim e a CPPIB passarão a deter 54,2% e 45,8% de participação no capital social da VTRM, respectivamente. A Cesp é avaliada em R$ 7,85 bilhões na B3 e, caso a operação seja aprovada, a empresa pedirá listagem no Novo Mercado. A holding terá capacidade instalada de 3,3 gigawatts, quase o dobro da capacidade atual da Cesp, além de uma receita líquida anual de R$ 5,8 bilhões.

VAREJO
Pão de Açúcar sai dos hipermercados

O Grupo Pão de Açúcar (GPA) vendeu 71 pontos com a bandeira Extra Hiper para o Assai e saiu da operação de hipermercados. O negócio foi fechado por R$ 5,2 bilhões. O GPA possui atualmente 103 lojas nesse formato. A marca Extra Hiper será descontinuada, e as lojas vendidas serão convertidas ao atacarejo do Assaí. As unidades que não foram vendidas serão convertidas para as bandeiras Pão de Açúcar ou Mercado Extra, formatos com maior potencial de rentabilidade, segundo informou o Pão de Açúcar.

FUSÃO
Americanas dispara com junção de negócios

Na segunda-feira (18), Lojas Americanas e Americanas anunciaram estudos para combinar seus negócios. A notícia agradou o mercado e as ações subiram 28%. A mudança visa “maximizar a experiência do cliente em uma nova jornada de criação de valor”. A Lojas Americanas estuda ainda uma reorganização societária visando listar suas ações nos Estados Unidos. Caso a combinação operacional seja bem sucedida, a companhia será listada no Novo Mercado, segmento com o maior nível de governança corporativa da B3.

ENERGIA
EDP Brasil vence leilão da Celg-T

A EDP Brasil venceu o leilão realizado pela Celg-T, empresa de transmissão de energia da goiana Celg. A EDP desbancou concorrentes com um lance de R$ 1,977 bilhão, 80,10% acima do preço mínimo. Com isso, a companhia soma ao seu portfólio 755 quilômetros de linhas de transmissão, a maior parte em Goiás, e 14 subestações, que representam uma receita anual permitida (RAP) de R$ 216,4 milhões. Hoje, a EDP tem 1,9 mil quilômetros de linhas e RAP de R$ 648,6 milhões, considerando o ciclo 2020-2021.

MINERAÇÃO
Resultado da Vale decepciona mercado

Na noite da terça-feira (19) a Vale divulgou os resultados prévios e estimativas para o terceiro trimestre, que ficaram abaixo das expectativas. A produção de níquel ficou 25% abaixo do previsto, a de cobre ficou 1% inferior e a de ferro, principal produto, 2% abaixo do estimado. A mineradora entregou 89,4 milhões de toneladas métricas do minério no período. As vendas também foram menores do que o esperado, devido à desaceleração na demanda por aço. As notícias desagradaram o mercado. Na quarta-feira (20) as ações caíram 3,3%.

DESTAQUE NO PREGÃO
Incorporadoras projetam desaceleração

Divulgação

Os resultados e as prévias divulgadas por algumas das incorporadoras indicam uma desaceleração do setor no terceiro trimestre. Na quarta-feira (13), a prévia divulgada pela Cyrela indicou que as vendas líquidas caíram para R$ 1,366 bilhão, baixa de 20,2% ante o mesmo período de 2020. O número de lançamentos caiu de 15 no segundo trimestre para 12 no terceiro. A incorporadora Even divulgou uma queda de 42,2% nas vendas líquidas na prévia operacional, totalizando R$ 277 milhões. No mesmo período do ano passado, a Even havia registrado R$ 480 milhões. A Mitre seguiu em linha com as demais incorporadoras. No terceiro trimestre, mesmo elevando os lançamentos em 22%, a empresa amargou uma queda similar de 22% nas vendas líquidas.