Negócios

Volkswagen receberá US$351 mi em acordo com ex-executivos relacionado a escândalo de emissões

Crédito: REUTERS/Fabian Bimmer

Logo da Volkswagen na sede da empresa, em Wolfsburg, Alemanha (Crédito: REUTERS/Fabian Bimmer)

Por Christoph Steitz e Jan Schwartz e Thomas Escritt

FRANKFURT (Reuters) – A Volkswagen anunciou nesta quarta-feira acordo com ex-executivos, que fará com que a montadora alemã receba 288 milhões de euros (351 milhões de dólares) em compensações relacionadas ao escândalo de fraude em testes de emissões de poluentes.

O acordo veio no mesmo dia em que os promotores de Berlim acusaram o ex-presidente-executivo do grupo Martin Winterkorn de dar falso testemunho ao parlamento alemão quando disse que não sabia que a montadora havia manipulado os testes de motores a diesel antes de se tornarem públicos.

+ Ex-presidente da Volkswagen pagará valor recorde ao grupo por caso do Dieselgate



Winterkorn deixou o cargo em setembro de 2015, uma semana após estourar o escândalo – no qual o grupo admitiu o uso de software ilegal para fraudar testes de motores a diesel nos Estados Unidos.

O escândalo custou à empresa mais de 32 bilhões de euros em reparos de veículos, multas e custos judiciais e estimulou o grupo a lançar um grande investimento em carros elétricos. A empresa inicialmente atribuiu o escândalo a um pequeno número de engenheiros.

O acordo anunciado nesta quarta-feira consiste principalmente em um pagamento de 270 milhões de euros de seguros de responsabilidade de diretores e executivos (D&O). E ainda precisa ser aprovado na assembleia geral anual do grupo em 22 de julho.

Um porta-voz de Winterkorn se recusou a comentar as acusações feitas contra ele pelos promotores de Berlim.

A Volkswagen disse no final de março que reivindicaria indenização de Winterkorn e Rupert Stadler, ex-chefe da Audi, por violações do dever fiduciário.

A Volkswagen concluiu que Winterkorn violou seu dever ao não esclarecer completa e rapidamente as circunstâncias por trás do uso de funções de software ilegais em alguns motores a diesel vendidos na América do Norte entre 2009 e 2015.

Como parte do acordo, Winterkorn e Stadler pagarão 11,2 milhões e 4,1 milhões de euros, respectivamente.

O ex-membro do conselho da Audi Stefan Knirsch fez acordo para pagar 1 milhão de euros, e o ex-membro do conselho da Porsche, Wolfgang Hatz, vai desembolsar 1,5 milhão, disse a Volkswagen.

(Reportagem de Christoph Steitz, Jan Schwartz, Thomas Escritt e Sabine Siebold)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH58183-BASEIMAGE

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago