Giro

Vitamina D3 e medicamentos para alergia e câncer reduzem replicação de vírus

Crédito: Reprodução/Pixabay

Medicamentos que tratam alergia, hipertensão e câncer podem ser promissores no tratamento da Covid, uma vez que travaram a replicação em células infetadas (Crédito: Reprodução/Pixabay)

Um estudo que pode abrir caminho a novas linhas de tratamento da covid-19 foi publicado na revista científica PLOS Pathogens e realizado por uma equipe de cientistas da Universidade de Manchester, que usou culturas de células humanas infetadas com o SARS-CoV-2.

De acordo com a equipe, os medicamentos ‘ebastina’ (antialérgico com ação anti-histamínica), ‘amodiaquina’ (antimalárico), ‘atovaquona’ (anti-pneumonia), ‘bedaquilina’ (anti-tuberculose multirresistente), ‘manidipina’ (para a hipertensão), ‘abemaciclib’ e ‘panobinostat’ (anticancerígenos) e a vitamina D3 (que possui propriedades anti-inflamatórias e de reforço das defesas naturais) podem revelar-se promissores no tratamento da covid-19, uma vez que travaram a replicação do novo coronavírus em células humanas infetadas.

+ É difícil pegar covid-19 pelo ar em banheiros públicos, dizem cientistas

“O nosso estudo identificou compostos que são seguros em humanos e mostram eficácia na redução da infecção e replicação por SARS-CoV-2 em células humanas”, afirmam os autores, citados em comunicado pela PLOS Pathogens.



Ensaios clínicos terão, no entanto, de ser feitos para se confirmar se esses compostos são adequados para o tratamento de doentes com Covid-19, ressalvam.

Os autores do estudo lembram ainda que, apesar de promissores, “não são alternativas aos tratamentos existentes ou aos programas de vacinação” contra a covid-19.

Para quantificarem a carga viral nas culturas de células humanas, os investigadores usaram uma versão luminescente do SARS-CoV-2 (introduziram no vírus uma enzima que produz luz).

Pelo menos mais de 4,5 milhões de pessoas morreram no mundo por covid-19, entre os mais de 220 milhões infectados com o novo coronavírus, detectado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e que se tornou pandémico.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago