Negócios

Visa e Mastercard podem deixar de funcionar na Venezuela em caso de nova sanção

O veto afeta empresas que reconhecem Maduro como presidente, como as estatais que fazem a intermediação de multinacionais de pagamento dentro da Venezuela

Visa e Mastercard podem deixar de funcionar na Venezuela em caso de nova sanção

Os Estados Unidos estudam nova sanção financeira contra a Venezuela. Caso aprovada, a medida pode fazer com que os bandeiras de cartão de crédito Visa e Mastercard deixem de funcionar no país. O veto seria contra empresas que reconhecem Nicolás Maduro como presidente, e como grande parte das empresas estrangeiras usam firmas locais – quase todas estatais – para processar transações, o veto afetaria praticamente toda a indústria de pagamentos.

A proposta ainda está em discussão entre a Casa Branca, Tesouro americano e outras partes da administração do país, mas caso aprovada, não será novidade. Os Estados Unidos já impuseram limites no processamento de operações em países como Síria, Coréia do Norte, Iran e em menor parte, na Rússia.

O objetivo é asfixiar ainda mais Maduro e seus aliados, além da classe média alta venezuelana que ainda tem acesso a bancos e cartões de crédito. Porém a situação na Venezuela deixa difícil de prever o quão forte será o baque de uma restrição quase generalizada de transações bancárias. O que se sabe é que Visa e Mastercard são responsáveis por quase todas as transações no país, e que a sanção afetaria multinacionais que atuam lá, como General Electric, Cargill e American Airlines.