Violência política

Violência política

A sociedade brasileira tem forte propensão a apoiar posições autoritárias. Em grande parte, isso se deve ao medo da violência, que aumenta a adesão a soluções absolutas e opressivas. A conclusão é de um estudo conduzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com dados colhidos pela empresa de pesquisas Datafolha. A pesquisa contou com mais de duas mil entrevistas e foi baseada na Escala F, índice desenvolvido pela Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos, que mede tendências antidemocráticas. Em média, o Brasil registrou 8,1 pontos na Escala F, que vai até 10. O número representa uma forte propensão ao apoio a posições autoritárias – o F, da escala, por sinal, vem da palavra fascismo. O indicador varia conforme faixa etária, renda e escolaridade.

Considerando apenas pessoas com pós-graduação, ele cai para 6,5. Entre os maiores de 60 anos, sobe para 8,3. Entre os que se consideram brancos, o índice é menor do que a média: 7,9, ante 8,1 de pretos e 8,3 de pardos. As classes sociais D e E registraram 8,5 pontos, o valor mais elevado. À medida que se sobe na pirâmide, o número cai, ficando em 7 entre os integrantes da classe A. A propensão autoritária também varia conforme outro índice calculado na pesquisa: o do medo da violência. Entre os que têm mais receio de ser assaltado ou assassinado, a escala ficou em 8,24, ante 7,88 dos menos amedrontados. Quanto maior o medo, também é menor a propensão a apoiar agendas ligadas aos direitos humanos, civis e sociais. “Vivemos amedrontados pelo crime e pela violência”, afirma a entidade.

(Nota publicada na Edição 1040 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

Estado de emergência

Nem mesmo a notícia de que o fogo que consumiu mais de 3 milhões de hectares do Pantanal pode ter sido criminoso foi suficiente para [...]

Ingredientes locais valorizados

Inspirados no relatório Future 50 Foods, que traz os 50 alimentos do futuro por aliarem alto potencial nutritivo com baixo impacto [...]

R$ 1 milhão para economia circular

A fabricante de etiquetas Avery Dennison já investiu cerca de R$ 1 milhão no seu programa circular. Com o projeto, a empresa se compromete a transformar seus resíduos de liner papel, matéria prima para a fabricação de adesivos, em polpa celulósica utilizada na produção de papel-toalha usado em sua planta no Brasil. Estima-se que mais […]

Desmatamento sobe e impulsiona preço de cerveja

A Ambev lançou uma cerveja cujo preço flutua de acordo com os índices de desmatamento da Floresta Amazônica. Quando a área degradada [...]

Telemedicina para democratizar a saúde

Criado durante uma das expedições do Rally dos Sertões, com o objetivo de promover acesso gratuito à saúde em comunidades com [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.