Giro

Vida útil de um iPhone é o dobro das concorrentes, diz a Apple

Crédito: Reprodução/Divulgação

Segundo a Apple, o iPhone tem uma vida útil média de até 46 meses, enquanto os smartphones Android têm uma média estimada de apenas 23 meses. (Crédito: Reprodução/Divulgação)

A obsolescência programada é um assunto tabu para muitos fabricantes de smartphones, tablets ou qualquer outro equipamento que possamos ter em casa (como o computador ou mesmo a televisão). Atualmente há empresas trabalhando para otimizar a vida útil dos seus dispositivos, mas outras não estão muito interessadas nessa vida longa.

A Apple sempre defendeu os seus produtos quando é acusada de terem uma obsolescência programada. Conforme temos visto, a empresa garante que maximiza a vida útil de todos os dispositivos que comercializa, para a sua satisfação, mas acima de tudo, para preservar o planeta.

+ Samsung registra patente de celular com câmera frontal que se oculta
+ Confira os direitos do consumidor na hora de trocar presentes de Natal

Uma recente audiência no Senado deu a palavra a três representantes da Apple França para falar sobre as iniciativas ambientais da empresa.



Sébastien Gros, responsável pelas relações públicas, Clément Lelong responsável pelas ações ambientais e Olivier Knoepffler responsável de relacionamento com o cliente forneceu informações particularmente interessantes sobre a vida útil dos iPhones.

Segundo as suas declarações, a Apple procura estender o funcionamento dos seus smartphones o máximo possível. Assim, os representantes da empresa afirmaram que o iPhone tem uma vida útil média de até 46 meses, enquanto os smartphones Android têm uma média estimada de apenas 23 meses.

Segundo Clément Lelong, estes números foram concluídos graças a vários estudos internos, mas também a organizações externas. O responsável de ações ambientais da Apple França explica que a segunda vida do iPhone (após revenda ou reembalagem) dura um pouco mais que o dobro da de um smartphone concorrente.

Essa maior durabilidade é justificada pela manutenção do aparelho. Quando um iPhone tem algum problema, ou uma qualquer dificuldade com componentes internos, a Apple insiste que o usuário vá às lojas Apple Stores (ou reparadores autorizados), que podem oferecer peças originais e de alta qualidade.

Uma vez instalado, o iPhone irá logicamente durar mais do que com uma parte inferior. Para o consumidor o serviço acaba saindo mais caro, mas permite que o iPhone volte a ter problemas nos meses seguintes.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel