Giro

Viagens de brasileiros para o exterior caíram 80% entre 2019 e 2021

Crédito: Rovena Rosa/ Agência Brasil

Viagens internacionais caíram 80% entre 2019 e 2021 (Crédito: Rovena Rosa/ Agência Brasil)



A Pesquisa Nacional de Amostragem de Domicílio (PNAD) do turismo, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Ministério do Turismo, mostra que o brasileiro passou a gastar menos com viagens entre 2020 e 2021 e está viajando menos para o exterior. O gasto total com viagens caiu de R$11 bilhões em 2019 para R$9,8 bilhões em 2021.  

O levantamento apontou que a queda de viagens para fora do país caiu 80%, muito por conta da pandemia de coronavírus. O número de viagens em geral caiu 41%. De acordo com a pesquisa, em 2019 foram realizadas 20,9 milhões de viagens contra 12,3 milhões em 2021. 

+Vídeo: Homem bêbado montado em cavalo é escoltado pela PRF

“Os resultados refletem os impactos causados pela pandemia no comportamento das pessoas em relação às atividades turísticas. As viagens caíram 41% entre 2019 e 2021 e essa queda atingiu todas as classes de rendimento. O ano de 2021 foi ainda pior para o turismo que o de 2020”, aponta a analista da pesquisa, Flávia Vinhaes.




 

Divulgação/ IBGE


Falta de dinheiro ainda é o principal motivo

Apesar da dificuldade sanitária, a falta de dinheiro segue sendo o maior motivo para que as pessoas não viajem. Em 2020, 33% dos entrevistados disseram que não viajaram por conta desse motivo. Em 2021 o número ficou em 30%. Já 20.8% disseram que não havia necessidade de viajar e 8,3% disseram que faltou tempo. 

A pesquisa também ressaltou que o número de lares com rendimento abaixo de um salário mínimo aumentou no período, justamente a parcela de renda que mais alegou que a falta de dinheiro foi o principal motivo para a não realização de viagens. Esses domicílios eram 40,7 milhões em 2019 e aumentaram para 43,3 milhões em 2021. 


 

Divulgação/ IBGE

Um outro reflexo que pôde ser identificado foi que somente 14,7% dos viajantes afirmaram terem se hospedado em hotéis, resorts ou flats contra 42,9% que ficaram em casa de amigos ou familiares e 28,2% responderam que ficaram em outro tipo de hospedagem, como casa de apoio, hospital, veleiro, local do trabalho, entre outros tipos de alojamento.

Uma em cada cinco viagens foi para o estado de São Paulo

A pesquisa também indicou que as regiões mais visitadas no Brasil foram: Sudeste (40,9%), Nordeste (28,2%) e Sul (17,3%). 

Grande parte dos deslocamentos aconteceu dentro de uma mesma região e até no interior dos estados. São Paulo aparece em primeiro lugar entre os destinos mais procurados para as viagens nacionais, com 20,6% dos viajantes. Na sequência vem Minas Gerais, com 11,4%, Bahia 9,5%, Rio de Janeiro 6,6% e Rio Grande do Sul 6,5%.

O estado de São Paulo também foi o que mais movimentou dinheiro em viagens nacionais em 2021, seguido por Bahia, Rio de Janeiro, Santa Catarina, e Rio Grande do Sul. 

Divulgação/ IBGE
Divulgação/ IBGE