Negócios

Vendas tiveram melhor 1º tri dos últimos 3 anos, diz executivo da Embraer

Vendas tiveram melhor 1º tri dos últimos 3 anos, diz executivo da Embraer

A Embraer registrou o melhor primeiro trimestre em termo de vendas dos últimos três anos, ressaltou o vice-presidente executivo Financeiro e de Relações com Investidores da fabricante de aviões brasileira, Nelson Salgado, nesta quarta-feira, 15, durante teleconferência com analistas e investidores sobre os resultados trimestrais.

Entre janeiro e março deste ano, a companhia entregou 22 jatos, 11 no segmento executivo e 11 no segmento comercial. No período, as novas vendas ficaram acima de US$ 300 milhões, acrescentou o executivo.

Ao final de março, a carteira de pedidos firmes a entregar (backlog) da Embraer somava US$ 16 bilhões. A cifra teve pouca variação em relação ao quarto trimestre, que era de US$ 16,3 bilhões.

Com relação a expressiva queda nas vendas de jatos comerciais, de 33 jatos no quarto trimestre para 11 jatos no primeiro trimestre, Salgado afirmou que a expectativa é de recuperação no segundo trimestre. Para este ano, a empresa estima atingir vendas entre 85 e 95 jatos na divisão comercial. Sazonalmente, os primeiros meses do ano são marcados por vendas mais fracas.

As estimativas também são positivas para o segmento executivo. Entre janeiro e março, a companhia vendeu 11 jatos executivos, ante 36 jatos no quarto trimestre. Em 2019, a Embraer espera vender entre 90 e 100 jatos no segmento.

Portugal

Sobre as negociações com a Força Aérea de Portugal para compra do jato militar KC-390 inicialmente estão previstas cinco entregas do modelo, de acordo Salgado.

A campanha de ensaio em voos com o KC-390, reforçou o executivo, já registra mais de 2 mil horas voadas, completou com sucesso duas séries de testes importantes e segue firme para as primeiras entregas para a Força Aérea Brasileira (FAB).

A primeira unidade deve ser entregue à FAB depois da sua apresentação no salão internacional de Paris, em junho, dando início ao processo de entrega formal.

Segundo o executivo, a parceria com a Boeing para o KC-390 deve abrir uma série de mercados aos quais a empresa não teria acesso. “Temos trabalhado bastante na conclusão dessa parceria, que faz parte do acordo estratégico mais amplo com a Boeing, então isso deve ocorrer até o fim do ano também’, afirmou.