Negócios

Vendas online cresceram 56,8% com a pandemia: veja o passo a passo para abrir o seu e-commerce

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

O comércio eletrônico foi o caminho encontrado por muitas empresas para manter o negócio funcionando mesmo diante da pandemia da covid-19 (Crédito: Arquivo/Agência Brasil )

O comércio eletrônico foi o caminho encontrado por muitas empresas para manter o negócio funcionando mesmo diante da pandemia da covid-19, que levou a restrições de circulação e de horários de funcionamento.

De acordo com a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), a quarentena fez com que o faturamento do varejo digital crescesse 56,8% de janeiro a agosto do ano passado, em relação ao mesmo período do ano anterior.

+ Prevenção de fraudes no e-commerce é principal preocupação de empresas

Estudo da entidade mostra ainda que, do início da pandemia até agosto do ano passado, mais de 135 mil lojas aderiram às vendas pelo comércio eletrônico para continuar vendendo e mantendo-se no mercado. A média mensal antes da pandemia era de 10 mil lojas por mês.



O presidente da ABComm, Mauricio Salvador, afirma que empresas com operação restrita ao ambiente físico estão em uma situação de desvantagem ampla e correm sérios riscos de sobrevivência. “É preciso correr pela presença digital. É possível começar a vender on-line de forma rápida e simples, sem a necessidade de grandes investimentos”, destaca.

Antes, a criação de um site era uma tarefa bem complicada e exigia conhecimento de programação e domínio de programas para criar e tratar imagens. Com o avanço da tecnologia, isso mudou e, agora, é muito mais simples investir na criação de um site, sendo possível o próprio empreendedor fazer a sua página.

A ABComm elencou ainda seis dicas para ajudar você a alcançar melhores resultados com seu negócio virtual.

Dicas para vender online

1. Monte um plano de negócio
Para qualquer modelo de negócio, o planejamento é fundamental. No caso de um projeto online não é diferente. Por isso, antes de começar a vender pela internet, pense em quais canais serão utilizados, quem são os seus parceiros e fornecedores, quantos colaboradores estarão envolvidos no projeto.

Além disso, é nessa etapa que você deve estabelecer as primeiras metas do negócio, com base em uma projeção de vendas de acordo com a sua estrutura. É durante o planejamento também que as métricas são definidas. Como você irá medir os seus resultados e avaliar se estão próximos da meta estabelecida?

As ferramentas e sistemas que serão utilizados para suportar todo o seu processo online também precisam ser escolhidas de acordo com a sua necessidade e devem aparecer no planejamento do negócio.

2. Capriche no site
O site será sua plataforma de vendas pela internet. Por isso, capriche na hora de criar o seu. Ele precisa ser visualmente atraente, além de funcional e intuitivo. É importante que o site atenda às experiências web e mobile, para não prejudicar a visualização do cliente em relação aos seus produtos.

Então, deixe claro a forma que o cliente pode entrar em contato para tirar dúvidas. Capriche também nas fotos dos seus produtos. Como estamos falando em vendas online, a única forma do cliente saber como são os itens vendidos é por meio da tela do celular ou do computador. Por isso, as fotos precisam ser nítidas, de preferência com fundo branco.

As descrições dos produtos também devem ser bem completas, oferecendo o máximo de informações possíveis para o visitante do seu site. Deixe claro as cores e dimensões dos itens, além dos preços.

3. Dê atenção total à logística
No ambiente online, os negócios se diferenciam principalmente pelo processo de entrega. É preciso cumprir a risca os prazos estabelecidos para não frustrar o cliente e prejudicar a avaliação dele em relação a sua empresa. Para isso, é necessário dar atenção à logística.

Nesse caso, você deve escolher a melhor forma de transportar as entregas. O seu negócio irá trabalhar com transporte próprio ou irá terceirizar esse processo com outra empresa? Lembre-se de levar esse elemento em consideração na hora de planejar como vender online.

Para as entregas, é fundamental dar atenção também às embalagens. Elas devem preservar os itens transportados e serem adequadas ao material desses produtos. Afinal, mesmo que a sua empresa cumpra o prazo de entrega, se o produto chegar em péssimas condições até a casa do cliente, isso pode comprometer muito a visão que ele tem do seu serviço.

4. Trabalhe com multicanais
O consumidor digital é hiper-conectado, o que significa que ele utiliza diversos canais de contato para realizar suas compras. Cada cliente terá um canal de preferência, então é preciso diversificar os canais que a sua empresa utiliza para contato.

Mas o mais importante é oferecer uma experiência integrada em cada um deles. Isso significa que, se um cliente começa a comprar pelo Whatsapp e finaliza a compra no seu site, ele deve ter uma experiência fluida e homogênea. Caso contrário, pode desistir da compra. E não se esqueça de trabalhar com um sistema de gestão ERP para gerenciar todos esses canais de venda e facilitar a integração entre eles.

5. Prepare e treine a equipe
O consumidor digital está cada vez mais exigente e o seu negócio precisa atender às expectativas que ele tem. Isso inclui a sua equipe. Por isso, invista em qualificação dos profissionais para garantir uma experiência de excelência aos seus clientes.

Foque em entregar um atendimento rápido e eficiente, que realmente resolva as solicitações dos consumidores. Assim, você aumenta os níveis de satisfação que eles têm em relação ao seu serviço e podem indicar o seu negócio aos conhecidos, expandindo ainda mais a sua cartela de clientes.

Além disso, preparar sua equipe vai muito além de sugerir que os colaboradores sejam simpáticos durante o atendimento. Eles precisam ter conhecimento sobre aquilo que a sua empresa vende, para conseguirem resolver as dúvidas dos consumidores. Nesse sentido, vale criar um ambiente de constante aprendizado e que seja estimulante para os profissionais.

Saber como vender na internet vai muito além de criar um site e incluir o preço dos seus produtos, mas envolve todas as frentes relacionadas direta ou indiretamente com seus clientes.

6. Anuncie
Você já deve ter ouvido que quem não é visto não é lembrado, certo? Então, essa é a máxima por trás dos anúncios que vemos todos os dias na internet e nas redes sociais. E não pense que você tem que desembolsar uma alta quantia em dinheiro para começar a anunciar em plataformas como o Instagram e o Facebook.

Com pouco, já é possível ter bons resultados, se você refinar os filtros dos anúncios. Isso significa conhecer muito bem o perfil de cliente que você quer atingir, diminuindo seus custos e aumentando suas chances de venda pela internet.

Capriche na arte e na mensagem dos anúncios para torná-los atraentes para o público. Afinal, o consumidor digital é bombardeado por um monte de informação nas redes, então, é preciso se destacar.

O Sebrae-MG aponta os passos que você pode seguir para fazer sua própria criação.

Passos para criar o site da sua empresa

1 – Registre seu domínio
O primeiro passo é registrar o domínio do seu site. Para isso é necessário verificar se ele está disponível. Ou seja, se mais ninguém está usando o domínio que você deseja usar.

O domínio, também conhecido como URL, é o endereço do seu site na internet. Ele é o que os visitantes precisam digitar na barra do navegador para chegar até seu negócio na internet.

Existem várias categorias de domínio. As mais comuns para empresas são as extensões .com e a sua versão brasileira, .com.br.

Mas, dependendo do segmento de atuação, o empreendedor também pode usar categorias mais específicas. Por exemplo: .edu para domínios relacionados à educação.

Você pode verificar a disponibilidade e efetuar a contratação dos domínios no site Registro.br.

2 – Hospedagem do seu site
O próximo passo na criação do site da sua empresa é contratar uma hospedagem para o seu domínio.

Seu site precisa ser instalado em algum lugar. Este lugar pode ser um servidor físico ou nas nuvens. Nele ficarão armazenadas todas as páginas, imagens e arquivos, para que os visitantes possam acessá-los.

Para escolher a melhor hospedagem, o ideal é avaliar: o tamanho do seu site; a previsão de acessos por dia e o orçamento disponível.

3 – Escolha um construtor de sites
Ao contrário do que se pensa, não são necessários profundos conhecimentos em programação para se criar um site. Mas é necessário entendimento básico de como essas questões funcionam. Atualmente, existem diversas ferramentas, conhecidas como “construtores de site” que facilitam a tarefa. Eles oferecem funcionalidades extras, para o empreendedor combinar e personalizar, criando um site com a cara da sua marca.

Um dos sistemas mais usados para criação de sites é o WordPress.org. Isto porque ele é voltado principalmente para a criação de páginas eletrônicas, sendo também um poderoso sistema de gestão de conteúdo. O que facilita o trabalho em duas frentes importantes para quem precisa ter um site para seu negócio. Além dele, existem outros construtores interessantes como o Google Sites, o Wix e o Joomla!.

O Sebrae destaca que, uma das melhores estratégias para utilizar em conjunto seu site, blog e as redes sociais é o marketing digital, mas especialmente o marketing de conteúdo. Com ele, seu público-alvo pode ser atraído, educado e convencido a se tornar cliente. Isto é feito por meio da distribuição de conteúdo criado especificamente com esses objetivos.

 

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago