Giro

Veja 5 direitos garantidos ao trabalhador que poucas pessoas conhecem

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

A legislação trabalhista garante uma série de direitos ao trabalhador brasileiro que exerce atividade com carteira assinada, mas alguns são desconhecidos (Crédito: Arquivo/Agência Brasil )

A legislação trabalhista garante uma série de direitos ao trabalhador brasileiros que exerce sua atividade com carteira assinada, ou seja, é contratado pelo regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Benefícios como o 13º salário, férias e seguro desemprego são os mais lembrados pelos trabalhadores.

No entanto, a lei prevê vários outros direitos aos trabalhadores e que são desconhecidos ou esquecidos por muitos profissionais. Separamos cinco direitos garantidos ao trabalhador que talvez você não conheça. Confira.

+ Renda habitual do trabalhador teve queda de 6,6% no segundo trimestre

Período de descanso

A CLT prevê que o intervalo entre uma jornada de trabalho e outra nunca poderá ser menor que 11 horas consecutivas. Significa dizer que o trabalhador só poderá voltar ao trabalho pelo menos 11 horas após o término do expediente anterior, ainda que atrase seu horário de entrada.



Limite de horas extras

Apesar de a legislação não impor um limite de horas extras que podem ser feitas mensalmente, há  um limite semanal e diário para os trabalhadores. No caso de trabalho inadiável ou trabalho contínuo, como reparos, o funcionário pode fazer horas extras, respeitando o limite máximo de 2 horas extras por dia.

Intervalo obrigatório

O trabalhador tem ainda direito a um intervalo de repouso ou alimentação de pelo menos 1 hora durante as jornadas de trabalho que ultrapassem as seis horas diárias, sendo que, exceto quando ocorra uma negociação coletiva de trabalho para esse sentido, o período de intervalo de almoço não poderá ultrapassar duas horas.

Vale-transporte

Ao contratar um profissional com registro em carteira, a empresa tem que oferecer o vale transporte, independentemente da distância percorrida e não há limite mínimo ou máximo para o seu valor. Vale lembrar que a empresa também tem direito de descontar até 6% da remuneração do empregado na folha de pagamento para custear o benefício.

Faltas justificadas

Em algumas situações, trabalhador pode faltar ao emprego e não ter desconto no salário. Entre as situações estão: casamento, até três dias consecutivos; pré-natal, até dois dias para acompanhar consultas médicas e exames complementares de pré-natal de sua esposa ou companheira; nascimento, ausência de um dia no decorrer da primeira semana do nascimento de filho e por 10 dias após o nascimento do bebê para os pais; doação de leite materno, a doadora deve apresentar atestado de um banco de leite oficial; doação de sangue, falta é justificada por um dia, sendo a cada 12 meses de trabalho; exames preventivos, garante falta por até três dias a cada 12 meses de trabalho para o funcionário que precise realizar exames preventivos de câncer; falecimento, ausência de até dois dias consecutivos em caso de falecimento do cônjuge ou familiar próximo; entre outras situações.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km