Edição nº 1104 18.01 Ver ediçõs anteriores

“Vamos consolidar tudo na marca Dotz”

A Dotz confirmou a compra da rival Netpoints em uma transação divulgada com exclusividade pela coluna MOEDA FORTE, no portal da revista DINHEIRO, na terça-feira 31 de outubro. O negócio envolveu a saída de todos os sócios da empresa, como a Smiles, a Lojas Marisa e a Bozano Investimentos. Roberto Chade, presidente da Dotz, explica as razões da aquisição. Confira:

“Vamos consolidar tudo na marca Dotz”

Por que a Dotz comprou a Netpoints?
Temos um posicionamento muito forte no mundo do varejo, que é o nosso avião. E a Netpoints era a única companhia com uma atuação próxima do que fazíamos. No processo de consolidação, fazia todo sentido trazê-la para dentro. Essa transação reforça de forma absoluta nossa liderança no mercado de varejo.

De que tamanho fica a Dotz com a incorporação?
Posso destacar dois indicadores. O número de clientes, excluindo a sobreposição que é pequena, na casa de 7%, chega a 40 milhões de pessoas. Outro número é o da receita das redes de varejo que passam a fazer parte de nossa rede, que chega a R$ 30 bilhões. Seríamos uma das três maiores redes de varejo do Brasil, considerado o faturamento de todos os nossos parceiros.

A marca Netpoints vai sumir?
Sim, vamos consolidar tudo na marca Dotz. Mas antes precisamos esperar a aprovação do Conselho Econômico de Defesa Econômica (Cade), o que deve demorar até 60 dias.

Alguma preocupação com o Cade? Afinal, a Dotz elimina um concorrente na área de fidelidade focada no setor de varejo…
Não. O mercado de fidelidade é ainda muito pequeno. Multiplus e Smiles, que estão sendo incorporadas por Latam e Gol, respectivamente, são muito maiores. No caso de Dotz e Netpoints, existe uma complementariedade muito grande. Atuamos em regiões diferentes. Mas, claro, temos de aguardar a decisão final.

(Nota publicada na Edição 1094 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Ralphe Manzoni Jr.)


Mais posts

Multilaser agora fala mandarim

A China é crucial na estratégia da Multilaser de oferecer um portfólio de 3,5 mil produtos a preços que caibam no bolso dos [...]

História sem fronteira

A Dentro da História, uma startup de Campinas que já vendeu 250 mil livros personalizados em dois anos de operação, vai em busca do [...]

Duplicatas do trilhão

A regulamentação da duplicata eletrônica deve impulsionar o mercado de crédito. Segundo a Central de Registro de Direitos Creditórios (CRDC), o estoque de empréstimos lastreados em duplicatas pode chegar a R$ 1,215 trilhão ao ano em 2023, crescimento de 43% contra os R$ 849 bilhões no fim de 2018. “A duplicata eletrônica vai facilitar o […]

Escola de empreendedorismo

Segundo números divulgados pelo IBGE, em outubro de 2018, o Brasil acumula três anos seguidos de saldo negativo de empresas formais. De [...]

Charge da semana

(Nota publicada na Edição 1104 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Carlos Eduardo Valim, Felipe Mendes e Moacir Drska)
Ver mais
X

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.