As Melhores da Dinheiro 2019

Valor agregado e protegido

Com 1.000 carros-fortes distribuídos por todas as regiões do País, o Grupo Protege avança no mercado de soluções em logística diversificando a oferta de produtos para pequenos e médios varejistas, além de cooperativas de crédito

Crédito: Divulgação

Marcelo Baptista de Oliveira, presidente do Grupo Protege: “O varejo tem colaborado para a retomada do crescimento da economia brasileira e é um segmento que oferece boas perspectivas para logística e produtos de segurança que desenvolvemos” (Crédito: Divulgação)

Quem vê um carro-forte rodando pelas ruas e estradas do País talvez não imagine que ele é apenas a parte mais evidente de um complexo sistema logístico que todos os dias faz com que não apenas dinheiro vivo como também mercadorias de alto valor agregado cheguem com segurança a seus destinos. Para garantir que cada operação dessa natureza seja bem sucedida, a Proforte, empresa do Grupo Protege que se destacou como a melhor do setor de Serviços de Transportes nesta edição As Melhores da Dinheiro, investe na capacitação de seus colaboradores, que hoje somam cerca de 16 mil.

Em 2018, a Universidade Corporativa do Grupo Protege treinou mais de 11 mil profissionais, em cerca de 238 mil horas de Ensino a Distância e mais de 80 mil horas presenciais, num total de 300 cursos técnicos e comportamentais. ”Desenvolvemos um app que possui mais de 5 mil exercícios pré-definidos, estimulando a interação entre os colaboradores em uma rede social interna e oferecendo suporte online para quem busca uma alimentação mais adequada para os seus objetivos”, afirma Marcelo Baptista de Oliveira, presidente do Grupo Protege. “As pessoas constituem nosso maior capital, são elas que trazem o sucesso à nossa organização”.

Para comprovar que essa crença está no DNA da empresa, o Grupo Protege criou o Proativo, hoje com mais de 8 mil inscritos. O programa, segundo a empresa, busca transformar benefícios em qualidade de vida, aumentando o engajamento do funcionário na esfera profissional, pessoal e familiar. A iniciativa é estendida aos familiares dos funcionários (cônjuge e dependentes de até 21 anos), ampliando para fora da empresa o incentivo a hábitos mais saudáveis – práticas esportivas e alimentares – ao levar benefícios reais para a comunidade onde os colaboradores residem.

Marcelo Baptista de Oliveira / Empresa: Grupo Protege / Cargo: presidente / Principal realização da gestão: Diversificar a oferta de produtos para pequenos, médios e grandes varejistas, setor que passa por uma reformulação digital, e também para cooperativas de créditos. (Crédito:Divulgação)

Manter sua força de trabalho empenhada em se aperfeiçoar, contudo, não é o único investimento que a empresa tem feito para ser a líder do setor. Novas tecnologias também têm sido criadas para oferecer um leque maior de soluções aos clientes tradicionais e também àqueles que até pouco tempo sequer sonhavam em contratar serviços de transporte de valores. “Focamos nosso planejamento em revisitar processos para aumentar a produtividade, identificamos novas oportunidades de negócio, além do contínuo incentivo de uma cultura empresarial que valorize a inovação”, afirma Oliveira. Apesar da retração econômica, alguns segmentos da economia apresentavam boas oportunidades para o segmento de logística e transporte de valores. “Conseguimos diversificar a oferta de produtos para pequenos, médios e grandes varejistas, setor que passa por uma reformulação digital, e também para cooperativas de créditos”.

Além do transporte de cargas de alto valor agregado em caminhões blindados, em especial pela indústria de insumos farmacêuticos e de tecnologia, que tem registrado crescimento nos últimos anos, a Proforte tem ampliado a oferta de soluções para o varejo, setor que tem colaborado para a retomada do crescimento da economia brasileira. Entre as novidades estão o Cofre Inteligente e o Tesoureiro Eletrônico. “São soluções em segurança que permitem que o varejista ou cooperativas de crédito foquem na sua real vocação, que é o bom atendimento aos seus clientes”, diz Oliveira.

O Cofre Inteligente é um equipamento que contabiliza os valores, valida notas supostamente falsas e armazena, com rapidez e agilidade, todas as cédulas depositadas. Isso reduz consideravelmente o tempo gasto com fechamentos e conferências de caixa. Os cofres possuem travas eletrônicas, mecanismo de entitamento de notas, são monitorados 24h e, para aumentar a segurança do cliente, possuem seguro com ampla cobertura. Após as cédulas serem coletadas, o cliente tem acesso on-line para controle de seu fluxo de caixa e obtenção de relatórios gerenciais. O Tesoureiro Eletrônico é uma opção de cofre, mas que oferece segurança e redução de custo de tesouraria, uma vez que automatiza a contagem de dinheiro, realiza saques e depósitos com alta velocidade. “Nossa missão é transformar o Grupo Protege em uma empresa que planeje suas ações estrategicamente, focando no aperfeiçoamento das soluções desenvolvidas para nossos clientes e se de fato elas atendem suas expectativas”.

E de que forma uma empresa que sempre atuou no transporte de numerário encara a era do dinheiro virtual, com um futuro apontando para o uso cada vez menor de transações financeiras em espécie? “A circulação de papel moeda não irá acabar”, afirma Oliveira, que tem os dados na ponta da língua: “Segundo pesquisa do Banco Central, 96% da população utiliza papel moeda para pagar contas ou fazer compras. Sendo que o dinheiro é o meio utilizado com maior frequência pela população”. E o que dizer das fintechs, muitas das quais estão revolucionando a relação que as pessoas têm com o dinheiro? “No curto prazo, essas novas instituições financeiras poderão passar a utilizar os serviços de transporte de logística e valores operando com ATMs próprios ou compartilhados”, acredita o presidente do Grupo Protege. “Atualmente, uma única empresa pertencente aos cinco maiores bancos do País, atua no segmento de saque de papel moeda por ATM, cobrindo apenas 15% dos municípios”. Há portanto, muito espaço para seguir crescendo.

Correção: no primeiro parágrafo, o número de funcionários foi corrigido para 16 mil, em 01/10/2019, às 17:05