Giro

Vacinas Sputnik V chegam ao Brasil na próxima semana sem garantia que estarão no PNI

Crédito: Arquivo / Agência Câmara

O imunizante tem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária para uso em condições controladas (Crédito: Arquivo / Agência Câmara)

O Consórcio Nordeste anunciou a chegada de 1,1 milhão de doses da vacina Sputnik V ao Brasil no dia 28 de julho pelo Aeroporto de Recife. Ao todo, 1,6 milhão de doses estão prontas para importação. O imunizante tem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso em condições controladas. Amanhã, às 14h, o Consórcio Nordeste fará uma reunião com o Fundo Soberano Russo, que financiou o desenvolvimento da Sputnik, para fechar o cronograma de chegada das doses, informou o Uol.

Os governadores do Nordeste enviaram um ofício ao Ministério da Saúde reafirmando a disposição de incorporação das doses adquiridas no Plano Nacional de Imunização (PNI), tendo em vista todos os esforços dos estados nordestinos para adquiri-las e a entrega prevista já para o dia 28 de julho de 2021.

Os governadores se colocam a disposição para o diálogo e enfatizam que a importação e o uso da vacina Sputnik V são fruto dos esforços dos estados. Segundo eles, a vacina Sputnik-V foi adquirida pelos estados integrantes do Consórcio Nordeste diretamente do Russian Direct Investment Fund (RDIF), sem intermediários, com cronograma de fornecimento que assegura entregas imediatas em quantitativos que permitem a ampliação da imunização da população brasileira.

No ofício, assinado pelo presidente do Consórcio Nordeste, coordenador do Fórum Nacional dos Governadores e governador do Piauí,Wellington Dias, os governadores mantêm a posição de inclusão do imunizante no PNI, por entenderem ser extremamente necessário para a ampliação da vacinação no país e solicitam um posicionamento formal e expresso do ministro da Saúde quanto à decisão de retirada da vacina Sputnik-V do PNI.



+ Funcionário vacinado da Casa Branca testa positivo para covid: porta-voz

“O Ministério da Saúde deu sinal positivo para a compra das vacinas pelo Consórcio Nordeste e da sua inclusão no PNI. O então Ministro Pazuello solicitou que enviássemos um documento para que esse acordo fosse formalizado. A proposta de acordo foi enviada ao Ministério da Saúde ainda no mês de março deste ano, mas até agora não tivemos resposta formal. Antes de tomar posse, o ministro Queiroga reafirmou o compromisso de que a vacina Sputnik-V integraria o PNI. Portanto, nos causa surpresa e estranheza as informações repercutidas da retirada da vacina do plano”, disse Wellington Dias.

A farmacêutica União Química disse que embora as vacinas que chegam em uma semana ao Recife sejam produzidas na Rússia e que serão despachadas diretamente de Moscou para o Brasil, a empresa terminou um lote inicial com 100 mil doses com qualidade atestada pela Rússia e insumo farmacêutico ativo (IFA) produzido em sua fábrica no Distrito Federal. O processo de transferência de tecnologia começou no último trimestre de 2020 e terminou em abril deste ano. Quando o processo de fabricação nacional for autorizado pela Anvisa, a farmacêutica vai poder liberar 8 milhões de doses por mês. A União Química fez um investimento de R$ 300 milhões no imunizante russo e pretende, em 30 dias, pedir pela primeira vez o registro definitivo da vacina.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago