Giro

Vacina de Oxford: laboratório admite fazer testes adicionais contra covid

O diretor executivo do laboratório britânico AstraZeneca, Pascal Soriot, afirmou nesta quinta-feira, 26, que será necessário ampliar o estudo da vacina contra a covid-19, depois dos questionamentos levantados sobre o grau de proteção que pode oferecer contra o novo coronavírus.

O laboratório admitiu na véspera que a dosagem que apresentou a maior eficácia (de 90%) foi ministrada por erro. Nunca se pretendeu testar um regime de uma dose e meia da vacina. O grupo que apresentou o melhor porcentual de eficácia era bem menor do que o outro e não teve a participação de idosos, o que poderia distorcer os resultados.

“Agora que encontramos o que parece ser uma maior eficácia, temos de validar essa descoberta” afirmou Pascal Soriot em entrevista à Bloomberg. “Por isso necessitamos de um estudo adicional.”

Em entrevista ao New York Times, o executivo da AstraZeneca responsável por grande parte da pesquisa e desenvolvimento do laboratório, Menelas Pangalos, afirmou que a empresa está preparando uma nova análise clínica global, comparando os dois regimes (de uma dose e meia, e de duas doses). O número de participantes não foi definido ainda, mas será na casa dos milhares.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel