Sustentabilidade

União industrial pela transição energética

Crédito: Evandro Rodrigues

Entre os esforços para conter o aquecimento, as consultorias têm destinado recursos para mapear gargalos e deficiências de diversos setores. No estudo global intitulado Industrial Clusters and the Path to Net Zero, obtido com exclusividade pela DINHEIRO, a Accenture detectou que dois terços das emissões de gases de efeito estufa (GEE) do planeta são emitidos por cluster industriais – áreas geográficas que concentram empresas de uma ou várias indústrias.

A boa notícia é que, segundo o estudo, a concentração de unidades de energia industrial no mesmo local cria oportunidades para escalar tecnologias de baixo carbono ao agregar a demanda e formar um mercado que pode dividir os altos custos de implementação. Quatro soluções são apresentadas. São elas: Eficiência Sistêmica e Circularidade – integração de processos para compartilhar energia e fluxos de materiais. Eletrificação Direta e Calor Renovável – geração de eletricidade e calor renováveis e de baixo custo no local com infraestrutura compartilhada.

Hidrogênio – produção do gás com emissões de baixo a zero carbono. E Captura, Utilização e Armazenamento de CO2. Com a adoção dessas tecnologias já disponíveis no mercado, as emissões industriais poderiam ser reduzidas em cerca de 40% até 2050. O desafio para que essa seja uma realidade possível é que as empresas deixem a competição de lado e se unam em direção a esse mesmo propósito. Só assim altos valores dessa transição energética seriam viáveis economicamente.

Evandro Rodrigues

(Nota publicada na edição 1225 da Revista Dinheiro)