Edição nº 1104 18.01 Ver ediçõs anteriores

Uma obra de arte na piscina

Uma casa à beira-mar no balneário de El Martinete, perto da cidade espanhola de Marbella, está na lista de propriedades a serem leiloadas pela Concierge Auctions. O grande atrativo da residência, construída em 1961, é uma piscina desenhada e assinada por Pablo Picasso (1881-1973). O proprietário era o dançarino de flamenco espanhol Antonio Ruiz Soler (1921-1996), conhecido como Antonio El Bailarin, amigo do artista criador do cubismo. A casa de estilo renascentista tem quatro andares, cinco suítes, sala de jantar para vinte pessoas, estacionamento subterrâneo para até seis carros e duas casas de hóspedes, com mais três quartos e três banheiros em cada uma delas. Detalhe: a propriedade esteve à venda por US$ 27 milhões, mas não houve interessados. O leilão ainda não foi marcado.

(Nota publicada na Edição 1073 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Tiffany agora identifica origem de todos os seus diamantes

Os chamados “diamantes de sangue” são joias extraídas de regiões em guerra e sob o controle de milícias criminosas. Cada vez mais as [...]

Nas Maldivas em alto estilo: a bordo de um iate

As Maldivas viraram o destino favorito dos endinheirados. A ilha do oceano Índico, ao sudoeste do continente asiático, é um paraíso [...]

The Macallan: o recordista dos recordes

A destilaria escocesa Macallan continua a bater recordes em leilões. Em dezembro, quatro lotes de seis garrafas cada, da coleção [...]

O relógio dos vilões

A Romain Jerome, relojoaria suíça, deu continuidade aos modelos desenvolvidos em 2017 sob o tema “Batman” em parceria com a DC Comics. [...]

Uma pista de esqui para chamar de sua

A temporada de esqui está bombando no Colorado, Estados Unidos. E essa pode ser a oportunidade perfeita para que você adquira uma casa [...]
Ver mais
X

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.