Edição nº 1083 17.08 Ver ediçõs anteriores

Uma obra de arte na piscina

Uma casa à beira-mar no balneário de El Martinete, perto da cidade espanhola de Marbella, está na lista de propriedades a serem leiloadas pela Concierge Auctions. O grande atrativo da residência, construída em 1961, é uma piscina desenhada e assinada por Pablo Picasso (1881-1973). O proprietário era o dançarino de flamenco espanhol Antonio Ruiz Soler (1921-1996), conhecido como Antonio El Bailarin, amigo do artista criador do cubismo. A casa de estilo renascentista tem quatro andares, cinco suítes, sala de jantar para vinte pessoas, estacionamento subterrâneo para até seis carros e duas casas de hóspedes, com mais três quartos e três banheiros em cada uma delas. Detalhe: a propriedade esteve à venda por US$ 27 milhões, mas não houve interessados. O leilão ainda não foi marcado.

(Nota publicada na Edição 1073 da Revista Dinheiro)


Mais posts

O relógio do Rambo

A relojoaria suíça Richard Mille lançou uma edição limitada, de apenas 20 peças, do RM 25-01 Tourbillon Adventure. O relógio foi [...]

A casa da árvore

A cidade de Devon, no Reino Unido, é um dos destinos mais procurados por quem gosta de natureza. O local foi declarado um dos [...]

A escrita de Homero

A Montablanc homenageia o escritor grego Homero (850 a.C.) na coleção Escritores, que foi criada pela marca alemã em 1992 para celebrar [...]

Joia de papel

A joalheria americana Tiffany lança em setembro a primeira coleção assinada por seu novo diretor artístico, o americano Reed Krakoff, [...]

Um jato na garagem

A empresa polonesa Metal-Master está lançando um jato particular que pode ser estacionado em uma garagem. Essa, pelo menos, é a ideia [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.