Uma desconhecida no IPO da vez

Esperar IPO de uma gigante de tecnologia costuma mexer no mercado. O último deles foi o – frustrante – da Uber, em maio de 2019. O papel fechou o primeiro pregão em US$ 41,57 após oferta inicial a US$ 45,00. Na quarta-feira (26) fechou a US$ 32,30. Em um ano, no entanto, muita coisa mudou. Num mercado global com excesso de liquidez e apetite por riscos, como o de agora, a Palantir parece ser uma aposta e tanto. Antes de buscar no Google, saiba que se trata de uma empresa de tecnologia altamente embrenhada nas indústrias de defesa e segurança dos Estados Unidos. Um de seus investidores iniciais é Peter Thiel, cofundador do PayPal e apoiador de Donald Trump. Pelo menos o foi em 2016. A Palantir oferece software e engenheiros – que personalizam o software – para que as organizações consigam extrair e compreender grandes quantidades de dados de várias fontes, como tráfego da internet e registros de celulares. Em tese eles conseguem rastrear de terroristas a ondas de coronavírus. E isso explica o motivo pelo qual por trás dela está, entre outros, a In-Q-Tel, braço de investimentos da Agência Central de Inteligência (CIA). Mas há também clientes reluzentes do setor privado, como Airbus e Ferrari. O aguardado IPO – os documentos foram protocolados na SEC – traz uma não surpresa: a empresa não dá lucro desde sua fundação, em 2003. Apesar disso a receita é crescente. Deve chegar a US$ 1 bilhão este ano. Em 2019 foi de US$ 742,5 milhões (com prejuízo de US$ 580 milhões), segundo informações obtidas pelo The New York Times. Em rodadas de investimentos ela já levantou mais de US$ 3 bilhões e hoje é avaliada em US$ 20 bilhões.

(Nota publicada na edição 1186 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

3 Pontos

“As pessoas devem entender que uma coisa é digitalizar os processos, e que isso é uma obrigação. Outra coisa é a transformação digital de fato, uma nova forma de trabalhar e oferecer serviços e produtos ao mercado”Peterson dos Santos, fundador e CEO da Ateliware, que se posiciona como um ateliê de softwares Neste ano, a […]

Buscas na Amazon

Dois em cada três americanos que fazem compras on-line iniciam suas buscas pelo site da Amazon, mesmo que terminem a aquisição em outra plataforma. Abaixo os itens mais procurados em 2020. Fabio X   (Nota publicada na edição 1193 da Revista Dinheiro) Veja também + Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até […]

Olhe à frente… seis dicas pro futuro

Nascido há 25 anos, o grupo de mídia Fast Company sempre se pautou pela inovação. Aqui, cinco regras do novo-mundo-novo para quem [...]

iFood? Esqueça. Você pode escolher Singapore Airlines

Por um preço equivalente a US$ 474 você pode ter um cardápio de primeira classe da Singapore Airlines, uma das companhias aéreas de [...]

Solar, o novo rei da energia

Graças a políticas que incentivam a energia renovável, a energia solar começa a se tornar mais barata que a de outras fontes segundo relatório divulgado na terça-feira (13) pela Agência Internacional de Energia (IEA). Como a curva é de preços em queda, espera-se que ela domine cada vez mais o mercado na próxima década, impulsionado […]

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.