Um Superiate de US$ 86 milhões

A Mulder Design, empresa holandesa de design naval, está querendo redefinir o conceito de luxo marítimo. Ela quer colocar nos mares uma embarcação de 70 metros com espaço suficiente para acomodar 14 pessoas. Ainda em fase de desenvolvimento, o Project Crystal – como foi apelidado a elaboração do novo conceito – terá espaço para guardar um barco de até 10,5 metros, submarino e jet skis. O iate de três pavimentos ainda oferecerá um amplo deck com sala de ginástica e uma área para pouso de helicóptero. A embarcação também tem, no salão principal, piano bar, sala de jantar (interna e externa), cinema, spa, adega e uma sala especial de charutos. Na parte mecânica o diferencial fica no sistema híbrido de propulsão diesel-elétrico, que faz o iate atingir uma velocidade máxima de 18,5 nós no motor a diesel e 12 nós no elétrico. Embora ainda não tenha sido fabricado, o superiate está estimado em US$ 86 milhões.

Nota publicada na Edição 1141 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Uma boutique Gucci só para eles

A Gucci acaba de anunciar que abrirá mais uma loja nos Estados Unidos. Trata-se de uma boutique em Beverly Hills, cidade dos ricaços e [...]

Flores o ano todo

Por que dar flores apenas no Dia dos Namorados, se você pode fazer isso todos os meses do ano? A floricultura digital BloomsyBox [...]

Para pés descolados por “apenas” R$ 2.500

Nascido em Osaka, no Japão, o designer Yuki Matsuda é considerado um dos mais criativos e inovadores do mundo, quando o assunto são [...]

Bolsa Yves Saint Laurent

Chique e exclusiva, essa bolsa de ombro da grife francesa é feita de fibra de ráfia – uma espécie de palmeira – e é uma das estrelas da [...]

Diamantes no dedo

Ainda não decidiu pedir a moça em casamento, mas quer causar excelente impressão? Este anel da marca francesa Messika, especialista em [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.