Rolex, Jacob & Co e Richard Mile, um relógio de R$ 3 milhões

Rolex, Jacob & Co e Richard Mile, um relógio de R$ 3 milhões

A Christie’s leva a leilão no dia 27 de maio, em Hong Kong, uma série de relógios exclusivos das marcas Rolex, Jacob & Co e Richard Mile. Entre eles, a peça de maior valor é um cobiçado Patek Philippe, marca suíça de relógios de luxo, com placa de ouro maciço e marcador com as fases da lua.

Veja também

• Os relógios-serpentes da Bvlgari
• Messi e o seu relógio do bem
• O relógio de Galileu Galilei

O cronógrafo 2499/100s do aparelho, considerado um dos mais precisos, ficou 20 anos fora do mercado.

Outro detalhe que explica a raridade da peça: o relógio foi um dos poucos a ser construído inteiramente pela Patek Philippe, com caixa produzida pela Ateliers Reunis SA, fabricante comprada pela relojoaria na década de 1970.

Segundo estimativas, o modelo deve alcançar US$ 691,4 mil a US$ 1 milhão no leilão da Christie’s.


Mais posts

Viagem (milionária) ao fundo do mar

O mundo submarino é lindo e fascinante. O genial escritor francês Julio Verne sabia bem disso, quando criou o clássico 20 mil Léguas [...]

Eternamente clássico

A Cutler and Gross não precisou de muito tempo para se firmar como uma das grifes de óculos de luxo mais reconhecidas do mercado [...]

Elegância aos seus pés

No mundo dos sapatos masculinos, poucas marcas têm tanto prestígio e respeito quanto a Berluti. Afinal, são exatos 125 anos de [...]

Chanel em dose tripla

Que mulher não ganha um brilho nos olhos diante de qualquer peça Coco Chanel? E se, em vez de uma, forem três peças? É o que propõe a [...]

Mixologia por delivery

A quarentena que mantém bares fechados em todo o mundo está levando muita gente a se arriscar na coquetelaria para preparar, em casa, [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.