Edição nº 1125 14.06 Ver ediçõs anteriores

Um relógio de R$ 3 milhões

Um relógio de R$ 3 milhões

A Christie’s leva a leilão no dia 27 de maio, em Hong Kong, uma série de relógios exclusivos das marcas Rolex, Jacob & Co e Richard Mile. Entre eles, a peça de maior valor é um cobiçado Patek Philippe, marca suíça de relógios de luxo, com placa de ouro maciço e marcador com as fases da lua.  O cronógrafo 2499/100s do aparelho, considerado um dos mais precisos, ficou 20 anos fora do mercado. Outro detalhe que explica a raridade da peça: o relógio foi um dos poucos a ser construído inteiramente pela Patek Philippe, com caixa produzida pela Ateliers Reunis SA, fabricante comprada pela relojoaria na década de 1970. Segundo estimativas, o modelo deve alcançar US$ 691,4 mil a US$ 1 milhão no leilão da Christie’s.

(Nota publicada na Edição 1121 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Um cruzeiro privativo pelas Maldivas por € 900 mil

Explorar o arquipélago das Maldivas a bordo de um superiate pode ser sua próxima aventura. O Nirvana, embarcação de 88,5 metros [...]

O broche de US$ 15 milhões da Cartier

Se você é apaixonado por joias pode deixar anotado na agenda seu compromisso para 19 de junho: o leilão Maharajas & Magnificência [...]

Lenny Kravitz e Leica lançam câmera exclusiva

A Leica, fabricante alemã de câmeras, se uniu ao cantor americano Lenny Kravitz para lançar uma edição especial da M Monochrom, a [...]

O primeiro híbrido de série da Ferrari

Os apaixonados pelo cavalinho rampante podem comemorar. O SF90 Stradale, primeiro híbrido da Ferrari a ser produzido em série, já tem [...]

Comes e bebes com estrelas no alto de Lisboa

O Atlis Avenida Hotel, cinco estrelas localizado no centro de Lisboa, na Praça dos Restauradores, acaba de inaugurar o novo Rossio [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.