Um Porsche sobre as águas

Um Porsche sobre as águas

Elegante em seu estilo retrô de linhas curvas, a lancha Hermes Speedster mais parece um carro esportivo do que algo criado para flutuar. Poderia ser uma versão anfíbia do clássico Porsche 356, de 1959, no qual foi claramente inspirada.

Produzida artesanalmente pela empresa familiar Seven Seas Yatchs, de Londres, a embarcação retoma o espírito dos Runabouts da década de 1930 e incorpora os recursos mais modernos do mercado náutico.

CARRO OU LANCHA? Com visual de um automóvel esportivo, o Hermes Speedster tem capota conversível para enfrentar o mau tempo e leva até cinco a bordo. (Crédito:Divulgação)

Prova disso é a motorização, totalmente elétrica, que torna a lancha silenciosa e 100% livre de emissões. Ainda que lembre um conversível para duas pessoas, seus 22 pés permitem levar até cinco ocupantes a bordo. E mesmo se o mau tempo vier, a capota pode ser estendida em segundos. Ou seja, é possível aproveitar a diversão em qualquer estação do ano.

A montagem é personalizável e as encomendas podem ser feitas no site hermes- craft.com, que lista preços a partir de US$ 269 mil.

(Nota publicada na edição 1208 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Sobre o autor

Luciana Lancellotti é editora de Estilo da DINHEIRO


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.