Um perfume só seu

Um perfume só seu

Uma das grifes de perfume mais emblemáticas do mundo, com mais de 100 anos de tradição, a Krigler já teve na sua lista de clientes notáveis gente como Audrey Hepburn, F. Scott Fitzgerald e John F. Kennedy. Agora, qualquer mortal pode ter a própria fragrância com o selo da marca. Além de vender seus produtos, com preços que vão de US$ 200 a US$ 1.200, a boutique da companhia em Los Angeles, a primeira na Costa Oeste dos Estados Unidos, tem um laboratório com técnicos para ajudar os clientes a criar os próprios perfumes, velas aromatizadas e sabonetes. Quem quiser algo ainda mais sofisticado pode contar com a valiosa ajuda do perfumista Ben Kriger, integrante da quinta geração dos fundadores e atual proprietário da empresa. Em sessões privadas com Ben, o cliente desenvolve a própria fragrância, somando suas preferências às dicas do dono da boutique. Nesse caso, a brincadeira fica um pouco mais cara. Um frasco desse pergume ultra-personalizado pode custar até US$ 60 mil.

(Nota publicada na edição 1180 da Revista Dinheiro)

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km




Sobre o autor

Luciana Lancellotti é editora de Estilo da DINHEIRO


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.