Edição nº 1122 24.05 Ver ediçõs anteriores

Um mea culpa sem combustível

Um mea culpa sem combustível

Ainda que de forma tímida e portas fechadas, a Uber parece ter finalmente admitido culpa em um acidente ocorrido em março, na cidade de Tempe, no Arizona. Na ocasião, um dos veículos autônomos que estava sendo desenvolvido pela companhia atropelou e matou a ciclista Elaine Herzberg. Quase nove meses depois, e de acordo com o site americano Business Insider, um mea culpa foi pronunciado. “Nós falhamos”, teria dito Dara Khosrowshahi, CEO da Uber, em uma reunião ocorrida na semana passada com outros executivos da companhia. Após o incidente, a empresa chegou a interromper seus testes com carros autônomos, mas retomou as experiências meses depois, em julho.

(Nota publicada na Edição 1099 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Bill Gates sugere cinco livros (disruptivos)

“Cada livro a seguir, com exceção de um”, diz Bill Gates, “lida com a ideia de ruptura. Mas não quero dizer ‘ruptura’ na maneira como [...]

Edição de vídeo simplificada

Junte programas de edição de vídeo de sucesso, como Premiere Pro e Audition, destinados a profissionais, e os simplifique. Esse é o [...]

Tesla, Tesla…

Relatório do Conselho Nacional de Segurança de Trânsito dos EUA confirma que o motorista de um veículo Tesla Model 3 – Jeremy Banner – [...]

Faces que o Facebook controla

Estudo da ONG Consumer Reports indica que usuários do Facebook podem não ter a capacidade de impedir que a plataforma use a tecnologia [...]

O gato aborrecido e 2,7 milhões de seguidores tristes

Sua expressão inegavelmente chateada se tornou símbolo universal de descontentamento. Grumpy Cat, o gato mais famoso da internet, [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.