Economia

Um inseto de 1 mm salva o mercado de amido no Sudeste Asiático

Crédito: Pexels

A estimativa é que o benefício econômico para os agricultores em 26 países da Ásia-Pacífico pode chegar a US$ 19,5 bilhões por ano (Crédito: Pexels)

Uma vespa parasita com apenas 1 mm (milímetro) de comprimento (Anagyrus lopezi) ajudou a resolver o impacto financeiro no mercado global de amido.

De acordo com a BBC, assim como já tinha acontecido na África décadas anteriores, a chegada da mandioca no Sudeste da Asiático revolucionou o mercado, com pequenos produtores cultivando o tubérculo e vendendo o amido principalmente para fabricantes que usam o produto em plásticos e colas.

+ Agricultura barra entrada de mais de 140 toneladas de uvas passas contaminadas
+ Associações entregam ao governo de SP plano que fortalece Casas da Agricultura

A mandioca foi importada pela primeira vez da América do Sul e logo ganhou vários países do continente. Só que em 2008, um inseto chamado cochonilha também chegou à região e devastou as lavouras.

Agricultores tentavam alternativas para se livrarem da praga, mas todos eram em vão. O inseto já tinha reduzido a produção agrícola do tubérculo em quase 80% e o resultado foi que os produtos alternativos ao amido, como milho e batata, aumentaram de preço.

Na Tailândia – o maior exportador mundial do produto – o valor da fécula de mandioca chegou triplicou.

+ Jaguar Land Rover: a luta contra a falta de confiança dos consumidores

A alternativa foi buscar um predador natural para tentar conter a propagação da praga. Em 2009, a vespa foi colocada no cultivo de mandioca na Tailândia e começou a agir sobre as cochonilhas. Outros países adotaram a medida e conseguiram salvar suas lavouras.

A estimativa, de acordo com a entrevista à BBC de Kris Wyckhuys, especialista em controles biológicos do Instituto de Proteção de Plantas da Academia Chinesa de Ciências Agrícolas em Pequim, é que o benefício econômico para os agricultores em 26 países da Ásia-Pacífico pode chegar a US$ 19,5 bilhões por ano.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel