Edição nº 1121 17.05 Ver ediçõs anteriores

Um hotel flutuante em Edimburgo

A capital da Escócia, uma das cidades mais bonitas e divertidas do Reino Unido, tem agora uma atração a mais: o hotel flutuante Fingal, que fica ancorado no Porto de Leith. O barco foi construído em 1963 nos estaleiros de Glasgow e pertenceu à Northern Lighthouse Board, onde era usado para levar equipamentos para os faróis do Mar do Norte. Reformado, o Fingal ganhou decoração semelhante ao HMY Britannia, navio que serviu a Família Real durante 30 anos e hoje é um museu ancorado no mesmo porto. A diferença é que você pode se hospedar no Fingal, que tem 23 cabines luxuosas com preço que vão de 500 a 1.500 libras. O hotel tem ainda um restaurante (com pratos entre 15 e 18 libras) e salão de festas para 60 pessoas, espaço que pode ser alugado para eventos.

(Nota publicada na Edição 1110 da Revista Dinheiro)


Mais posts

O melhor restaurante da América Latina é do Peru

Se você está com viagem marcada para o Peru, acrescente mais uma parada ao roteiro. O restaurante local Maido foi eleito o melhor da [...]

Dalmore L’ Amina, o single malt de meio milhão

Uma garrafa do single malt escocês Dalmore foi arrematada por R$ 560 mil em leilão na Sotheby’s de Londres. A destilaria nas highlands [...]

O rei dos vinhos e o vinho dos reis

Esqueça a região francesa da Borgonha e a italiana da Toscana. O vinho mais caro do mundo é produzido na Hungria e já foi chamado de “o [...]

Regent Seven Seas promete cruzeiro mais luxuoso do mundo

Em 2016, a Regent Seven Seas inaugurou, em uma cerimônia que recebeu o príncipe Albert II e a princesa Charlene, de Mônaco, o Regent [...]

Um relógio de R$ 3 milhões

A Christie’s leva a leilão no dia 27 de maio, em Hong Kong, uma série de relógios exclusivos das marcas Rolex, Jacob & Co e Richard [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.