Um castelo de Game of Thrones para chamar de lar

Um castelo de Game of Thrones para chamar de lar

Em uma semana de fortes emoções com os novos episódios de Game of Thrones, da HBO, uma boa notícia sacudiu os ânimos dos fãs do universo de Westeros: o castelo de Gosford, palco do icônico episódio “Red Wedding” da terceira temporada da série, foi colocado à venda por apenas £500,000 (o equivalente a R$ 2,5 milhões – ou uma Ferrari, por exemplo). Sem surpresas, o imóvel localizado no Norte da Irlanda foi arrematado dias após a publicação do anúncio. Com o negócio, o comprador poderá usufruir dos 15 quartos, 10 salas e 10 banheiros construídos no clássico estilo românico. Vale ressaltar que o castelo foi construído em meados do século XIX pelo segundo Conde de Gosford, Archibald Acheson, e foi usado para acomodar prisioneiros durante a segunda guerra mundial.

(Nota publicada na Edição 1119 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Delícia japonesa

Inari ŌKami é uma das principais e mais misteriosas divindades do xintoísmo japonês. Segundo a mitologia, representa prosperidade e [...]

O bracelete de R$ 16,5 milhões

Existem joias e existem tesouros em forma de joias. O bracelete desenhado pela renomada grife Carvin French se encaixa na segunda [...]

A sinuca de ouro da Rolls-Royce

Que tal jogar uma sinuquinha com os amigos, numa mesa produzida pela Rolls-Royce? Sim. A montadora de carros de luxo inventou de lançar [...]

Uma Louis Vuitton para o dia a dia

Uma das grifes mais celebradas do mundo fashion, a Louis Vuitton encanta mulheres de todo o planeta com suas peças lindas e luxuosas. [...]

Viagem (milionária) ao fundo do mar

O mundo submarino é lindo e fascinante. O genial escritor francês Julio Verne sabia bem disso, quando criou o clássico 20 mil Léguas [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.