Um brinde nas alturas

Um brinde nas alturas

Alexandre, Antônio, Paulo e Adriano Miolo na inauguração da torre que agora faz parte da Visita DOVV Espumantes

Há bem mais de uma década, quando estive pela primeira vez na sede da vinícola Miolo, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS), uma torre de quase 50 metros de altura me chamou a atenção. Predominante na paisagem, ela se impunha entre as construções erguidas no famoso Lote 43, a gleba de terras que deu origem aos primeiros vinhedos plantados pela família e que mais tarde daria nome a um tinto de excelência produzido naquele terroir. Não resisti à pergunta, dirigida ao enólogo e hoje presidente da empresa, Adriano Miolo. “Para que serve aquela torre?” Informado de que ela abrigava uma caixa d’água, não resisti: “Vocês pretendem fazer algo ali? Um mirante, talvez?” A resposta foi que naquele momento, ainda não havia planos.

Por isso mesmo foi com grande alegria que recebi a notícia de que a torre é, desde o dia 29 de janeiro, o ponto alto (literalmente), da nova experiência para degustação de espumantes com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos. É a Visita DOVV Espumantes, que começa no vinhedo, passa pelas caves subterrâneas e chega ao novo espaço, a 45 metros de altura, onde podem ser feitas degustações para até dez pessoas, diante da belíssima vista do vale. Agora chamada Torre da Miolo, ela ganhou bancos, almofadas, toldo, TV e bancadas, além de uma iluminação que permite ser usada à noite. Quem faz a Visita DOVV Espumantes prova quatro rótulos: Íride, Miolo Millésime, Cuvée Brut e Cuvée Brut Rosé. Fã que sou dos espumantes brasileiros, posso assegurar que a degustação vale a visita. Ainda mais agora, nas alturas. O passeio custa R$ 90 e inclui uma taça de cristal. Agendamentos pelo e-mail visita@miolo.com.br.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Sobre o autor

Celso Masson, 53, é jornalista, diretor de núcleo da Editora Três, winemaker e palestrante de vinhos. Nos últimos dez anos, vem estudando e acompanhando a produção, os negócios e os prazeres do mundo da enologia. Se formou winemaker após integrar um exigente programa oferecido pela Escola do Vinho Miolo. Já tem três rótulos produzidos em parceria com a inovadora vinícola brasileira.


Mais colunas e blogs


Mais posts

Um exemplo para todos os vinhos brasileiros de inverno

A dica foi do Fabio Giordan, dono do Espaço Bambu, em Casa Branca (SP), refúgio que combina restaurante com escola de gastronomia, [...]

O renascimento da lendária Georges Aubert

Georges Aubert. A marca que por várias décadas foi sinônimo de espumante brasileiro, chegando a dominar 60% do mercado nacional da [...]

Petit Caro, a porta de entrada para os vinhos de Catena e Rothschild

A expansão dos domínios da família Rothschild para além da França sempre rendeu vinhos magníficos. O Almaviva, feito a quatro mãos no [...]

Ballade, a marca da parceria Wine-Miolo

Maior clube de assinatura de vinhos do mundo, a Wine tem se voltado cada vez mais para a produção nacional. Em 2020, homenageou a [...]

Vinícola Aurora comemora 90 anos com vendas acima de R$ 700 milhões

O ano de 2020 foi histórico para o vinho brasileiro tanto em termos de qualidade, com a “Safra das safras”, quanto na quantidade [...]
Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.