Edição nº 1146 11.11 Ver ediçõs anteriores

Um bilionário envergonhado. Isso sim é unicórnio

Um bilionário envergonhado. Isso sim é unicórnio

Dois dos principais investimentos do SoftBank, Uber e WeWork, têm se mostrado decepcionantes. As ações da Uber caíram mais de 30% desde que a empresa abriu o capital, em maio. Já a WeWork se saiu ainda pior. O Softbank investiu quase US $ 11 bilhões na companhia, que chegou a ser avaliada em US$ 47 bilhões. Mas a estimativa mais recente apontava para um valor de US$ 10 bilhões, o que levou o presidente do banco de investimentos, Masayoshi Son, a destituir o CEO da WeWork, Adam Neumann, e a interromper sua abertura de capital, prevista para este mês. “Os resultados ainda têm um longo caminho a percorrer, e isso me deixa envergonhado e impaciente”, disse Son. “Tenho dito aos fundadores (das startups) que ‘conheçam seus limites’. Conhecer suas limitações ajudará a liberar possibilidades ilimitadas”, disse. Tanto Neumann (WeWork) quanto Travis Kalanick (cofundador do Uber) foram expulsos de suas criaturas. Son, no entanto, está otimista sobre o futuro. “Apenas começou”, afirmou. Mas não deixou de redefinir a geolocalização de seu repertório: “Costumava invejar a escala de EUA e China, mas agora isso sai de pequenos mercados, como o sudeste da Ásia.”

(Nota publicada na Edição 1142 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Os chineses na mira da justiça Americana

TikTok, quem diria, um – até prova em contrário – inocente aplicativo de criação e edição de vídeos caseiros, fez acender a luz [...]

Retocando a maquiagem

Do nada, como se fosse a coisa mais comum do mundo, o Facebook apresentou na semana passada um novo logotipo. Bem, aparentemente não [...]

Google: mutirão anti-hacker

As big techs, o governo dos EUA e até a torcida do Flamengo sabem que não há um dia (talvez uma hora) na vida sem que haja hackers [...]

A volta dos que não foram

A gigante do streaming de áudio Spotify resolveu desafinar: em vez de montar o palco para estrelas da música, seu core business, [...]

Chrome domina

(Nota publicada na Edição 1146 da Revista Dinheiro)
Ver mais