Economia

Uber anuncia plano de demissões e cortes em investimentos devido à pandemia

Crédito: AFP/Arquivos

Objetivo do Uber é retirar do horário de pico clientes que mais usam o serviço de viagens no Rio de Janeiro (Crédito: AFP/Arquivos)

A Uber, empresa de transporte compartilhado por aplicativo, anunciou nesta segunda-feira (18) que vai reduzir um quarto de sua força de trabalho no mundo, além de reduzir os investimentos para sobreviver ao impacto financeiro provocado pela pandemia de coronavírus.

“Estamos tomando essas decisões difíceis agora para que possamos avançar e começar a construir novamente com confiança”, disse o CEO da empresa com sede em San Francisco, Dara Khosrowshahi.

O diretor-executivo explicou que a companhia decidiu demitir cerca de 3.000 pessoas e suspender alguns investimentos não relacionados aos seus principais negócios, de transporte e entrega compartilhada. Os cortes de empregos serão distribuídos entre as operações da Uber em todo o mundo.

“Dado o impacto dramático da pandemia e a natureza imprevisível de qualquer recuperação, estamos concentrando nossos esforços em nossas principais plataformas de mobilidade e entrega e redimensionando nossa empresa para corresponder à realidade de nossos negócios”, disse Khosrowshahi.



Os cortes de pessoal incluem demissões no início deste mês nas equipes de recrutamento e atendimento ao cliente da Uber e fazem parte de uma reorganização que mantém os serviços de viagens compartilhadas e o Uber Eats, o aplicativo de entrega de refeições.

A Uber planeja compensar os trabalhadores demitidos com pelo menos 10 semanas de salário e manter os benefícios de saúde até o final deste ano. A empresa não respondeu a perguntas sobre se as demissões foram notificadas aos funcionários por videoconferência.

A empresa está fechando ou agrupando escritórios, incluindo a realocação de duas instalações em sua base de operações em San Francisco.

A empresa também planeja fechar seu base em Singapura no próximo ano e mudar sua sede Ásia-Pacífico.

A demanda pelos serviços de transporte caiu, mas a entrega de alimentos está crescendo. A empresa registrou um aumento de 53% na receita do Uber Eats nos primeiros três meses deste ano, à medida que mais pessoas fizeram pedidos, devido às restrições de mobilidade.

A receita da Eats aumentou para US $ 819 milhões, cerca de um terço do faturamento total da Uber no trimestre.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel