Ciência

Twitter limita alcance de tuítes que alimentam distúrbios no Capitólio

Crédito: Arquivo AFP

O Twitter anunciou que está reduzindo o alcance das mensagens que alimentam a violência contínua no Capitólio dos Estados Unidos, obrigado a interromper a sessão dedicada a certificar os resultados das eleições presidenciais (Crédito: Arquivo AFP)

O Twitter anunciou nesta quarta-feira (6) que estava reduzindo o alcance das mensagens que alimentam a violência contínua no Capitólio dos Estados Unidos, obrigado a interromper a sessão dedicada a certificar os resultados das eleições presidenciais.

As mensagens detectadas “não poderão ser retuitadas, respondidas ou receber ‘likes'”, informou a rede social, que já tomou medidas para regulamentar as trocas de mensagens durante a eleição presidencial particularmente tensa de novembro de 2020.

+ Multidão invade Capitólio nos EUA e Trump é acusado de tentativa de ‘golpe’
+ Protesto interrompe sessão do Congresso dos EUA para validar eleição

Centenas de apoiadores do presidente Donald Trump invadiram a sede do Congresso dos Estados Unidos nesta quarta-feira e interromperam a sessão na qual se devia confirmar a vitória do democrata Joe Biden nas eleições de novembro.



“Dada a situação em Washington, trabalhamos ativamente para proteger a integralidade das conversas públicas na plataforma e tomamos medidas contra todos os conteúdos que transgrediam as regras do Twitter”, informou a empresa na conta dedicada à segurança.

As trocas de mensagens se intensificaram nas redes sociais com muitos usuários narrando ao vivo os acontecimentos.

Vários observadores acusam as plataformas de terem permitido que Trump e seus apoiadores violentos as utilizassem para organizar seus atos.

“Ei, Mark Zuckerberg, Jack (Dorsey), Susan Wojcicki e Sundar Pichai – Donald Trump provocou um ataque violento contra a democracia americana”, tuitou o comediante Sacha Baron Cohen, em alusão, respectivamente, aos diretores do Facebook, Twitter, YouTube e Google.

“Isto não é suficiente para que reajam? É tempo de eliminar de uma vez por todas Donald Trump das suas plataformas”, disse o ator, ilustrando sua mensagem com a imagem de um manifestante com uma bandeira confederada, considerado um símbolo racista.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel