Artigos

Trumpistas rejeitam Biden: ‘Se esqueceram que 75 milhões’ votaram em Trump

Trumpistas rejeitam Biden: ‘Se esqueceram que 75 milhões’ votaram em Trump

O presidente cessante Donald Trump cumprimenta seus apoiadores antes de partir para sua residência na Flórida - AFP

Muitas das 75 milhões de pessoas que votaram em Donald Trump decidiram boicotar a cerimônia de posse de Joe Biden e Kamala Harris nesta quarta-feira (20).

Ainda se recusam a reconhecer a vitória de Biden como legítima, embora tenha sido ratificada pela Justiça, e garantem que os distúrbios e a violência no Capitólio há duas semanas não foram causados por partidários de Trump – apesar das evidências -, e temem serem silenciados pelos democratas nos próximos quatro anos.

Confira os depoimentos de alguns apoiadores de Trump:

– “Uma maneira de assassiná-lo”



Gia Maxson, professora de ioga, católica fervorosa de Hickory, Carolina do Norte:

“Quando Trump foi empossado, fiquei muito feliz (…) Desta vez não vou assistir.

Fui a dois comícios de Trump, foram experiências incríveis, incrivelmente positivas. Os apoiadores de Trump não cometem violência assim (como a do Capitólio), foi uma montagem para silenciá-lo.

Estou com medo, com raiva, absolutamente chocada que isso possa acontecer nos Estados Unidos.

Eu sempre me preocupei com a segurança (de Trump) nesses quatro anos, eles tentaram tanto derrubá-lo. Finalmente encontraram uma maneira de assassiná-lo.

Mas eu não acho que ele vai acabar, este será o início de outra grande coisa, Trump Media ou outra coisa.

Espero que surja um novo partido, um Partido dos Patriotas, esse seria o melhor cenário, o fim do sistema bipartidário do ‘pântano'”.

– “EUA rural” ameaçado –

Doug McLinko, funcionário eleito republicano do condado rural de Bradford, Pensilvânia:

“Não quero que nossa Constituição seja arruinada mais do que já está. Se (os democratas) abolirem o (sistema de nomeação do presidente pelo) colégio eleitoral, a Pensilvânia rural, a América rural não terá mais voz, apenas as grandes áreas urbanas a terão.

O país nunca esteve tão dividido. Eles nos tratam como nazistas – meu avô lutou durante a Segunda Guerra Mundial, viu um campo de concentração logo após sua libertação, não há pior insulto. E é isso que eles fazem… E então dizem que querem unir o país!

O processo de impeachment de Trump é totalmente inconstitucional. Eles parecem esquecer que 75 milhões de pessoas votaram nele.

Eles vão tentar destruí-lo, mas acho que vai continuar a desempenhar um papel (…) O (movimento do) populismo nacional é maior do que Donald Trump, não vai desaparecer”.

– “Não existe mais classe média” –

Sharon McGettrick, funcionária de um seguro médico em Clearwater, Flórida:

“Tenho a impressão de que (Biden) vai desfazer tudo o que Trump fez.

Esperava que a política de imigração continuasse, com o muro (…) ou tarifas alfandegárias contra a China. Tenho a impressão de que não teremos escolha, liberdade de expressão. Eles também tirarão nossas armas.

Toda a situação obscura foi orquestrada pela China, para nos vencer financeiramente e economicamente.

Tomo meu próprio exemplo: perdi meu emprego em novembro de 2019 (…), encontrei um pouco antes da pandemia (…) e perdi de novo em outubro. Sou mãe solteira, tenho dois filhos de 28 e 18 anos, mas sou eu quem paga as contas.

Não existe mais classe média, só há ricos e pobres (…) Eu ganho 31.000 dólares por ano, as estatísticas me colocam na pobreza”.

– “EUA contra a globalização” –

Tim Hearn, chefe de duas pequenas empresas em Charlotte, Carolina do Norte:

“Os políticos de Washington formam uma espécie de partido único, criaram um clima onde o que fazem é um trabalho, um estilo de vida, mais do que um trabalho a serviço do país.

Trump trouxe de volta aos Estados Unidos empregos que governos anteriores, democratas e republicanos, haviam deixado partir para o exterior.

Trump não era apenas os azuis (democratas) contra os vermelhos (republicanos), era a América contra a globalização.

Com Biden, vai aumentar o custo da energia: em vez de independentes do ponto de vista energético, vão aprovar acordos para que voltemos à dependência do petróleo estrangeiro, isso vai matar meus negócios, muito dependentes do preço da gasolina. E se aumentarem o salário mínimo federal para US $ 15 a hora, isso também vai me prejudicar.

Eles farão tudo o que puderem para eliminar (o movimento pró-Trump), mas ele não desaparecerá. Basta olhar para o que eles têm feito há duas semanas: substituem, excluem, bloqueiam. Por quê? Este país foi fundado no debate, sobre ideias, não sobre uma única religião.

Não vejo ninguém que possa liderar o movimento como (Trump) fez. Se ele não se apresentar novamente, seu filho Donald Junior pode fazê-lo, acho que ele é o único que pode assumir”.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel