Mundo

Trump não descarta suspender sanções ao Irã para se reunir com Rohani

Trump não descarta suspender sanções ao Irã para se reunir com Rohani

Trump participa de entrevista coletiva na Casa Branca - AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não descartou nesta quarta-feira (11) uma eventual suspensão das sanções contra o Irã para abrir caminho para um encontro com seu contraparte iraniano, Hassan Rohani.

Consultado no Salão Oval sobre a possibilidade de suspender as sanções que sufocam a economia iraniana visando um possível encontro com Rohani, Trump limitou-se a responder: “Vamos ver”.

“Acho que o Irã tem um potencial enorme (…). Esperamos poder chegar a um acordo”, acrescentou, voltando a insistir na ideia de que Teerã “quer alcançar um acordo”.

Mas Trump também fez advertências a Teerã.

“Não podemos permitir que o Irã tenha armas nucleares (…). O enriquecimento de urânio será muito perigoso para eles”, afirmou.

Segundo a agência Bloomberg, recentemente Trump falou abertamente durante uma reunião na Casa Branca sobre a possibilidade de suavizar as sanções impostas a Teerã em troca de um encontro com Rohani.

A ideia do presidente tem apoiadores no governo, como o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e críticos, liderados pelo ex-assessor de Segurança Nacional John Bolton.

A demissão de Bolton, na terça-feira, pode ajudar a tornar realidade um encontro considerado impossível durante muito tempo.

“A ideia de que o Irã receba benefícios econômicos tangíveis somente por deixar de fazer aquilo que jamais deveria ter feito está descartada”, disse Bolton no final de agosto.

Enquanto isso, Teerã voltou a rejeitar a ideia de uma cúpula entre os dois presidentes sem a suspensão prévia das sanções.

“Enquanto o governo dos Estados Unidos mantiver seu terrorismo econômico e as sanções cruéis sobre o povo iraniano, não há espaço para negociações”, afirmou Majid Takht-Ravanchi, representante do Irã na ONU.

Em conversa por telefone nesta quarta-feira, Rohani disse ao colega francês, Emmanuel Macron, que os diálogos com os Estados Unidos “não têm sentido” se as sanções não forem suspensas.

A atitude de Trump parece marcar um ponto de inflexão na posição linha-dura mantida por vários membros de sua equipe. Segundo a Casa Branca, Trump quer se encontrar com Rohani sem condições prévias, ao mesmo tempo em que mantém as sanções.

“Não podemos ser mais claros sobre o fato de que estamos decididos a implementar esta campanha de pressão máxima e que não temos a intenção de outorgar exceções ou anulações”, disse no começo de setembro o enviado dos Estados Unidos ao Irã, Brian Hook.

“Os Estados Unidos estão intensificando sua campanha de máxima pressão”, reforçou na ocasião.