Giro

Trump e Biden se enfrentam hoje em último debate sob tensão máxima

Crédito: AFP

O candidato democrata Joe Biden (E) e o presidente Donald Trump (Crédito: AFP)

Donald Trump enfrenta seu adversário democrata na corrida pela Casa Branca, Joe Biden, nesta quinta-feira (22), para um último debate transmitido pela televisão de Nashville a 12 dias da eleição presidencial nos Estados Unidos.

O primeiro encontro realizado no final de setembro, em Cleveland (Ohio), foi marcado pelo caos, por insultos e pelas constantes interrupções.

Nele, o candidato democrata de 77 anos se referiu ao presidente como “mentiroso”, “racista” e “palhaço”. Trump, três anos mais novo, rebateu: “Não há nada de inteligente em você”.

Irã e Rússia rejeitam acusações “sem fundamento” dos Estados Unidos sobre eleições

Harvard é eleita a melhor universidade do mundo; veja o ranking

Nada indica que o tom de hoje será mais cortês.

Temendo se tornar presidente de um único mandato, Trump acentuou, nos últimos dias, seus ataques pessoais a Biden, questionando sua integridade e afirmando que sua família é uma “empresa criminosa”.

Para evitar o caos do primeiro encontro, o microfone do candidato que não estiver falando ficará desligado.

“Me parece muito injusto”, afirmou Trump ontem.

Ele reiterou suas críticas à moderadora da rede NBC, Kristen Welker, acusando-a de ser uma “esquerdista democrata”. Seu principal argumento é que os pais dessa jornalista de 44 anos são democratas ferrenhos.

O debate previsto para 15 de outubro – transferido para um formato virtual depois do contágio do presidente por covid-19 – foi rejeitado por Trump e acabou não acontecendo.

– “Incompetência” –

O debate em Nashville será, para Trump, uma das últimas oportunidades de alto nível para tentar mudar os rumos da campanha, assim como sua posição de desvantagem nas pesquisas.

Segundo a média de enquetes do site RealClearPolitics, Biden tem uma vantagem de 7,5 pontos percentuais em nível nacional sobre Trump – uma tendência decrescente – e mantém uma distância, ainda que menor, nos estados pendulares. Neles, as preferências dos eleitores oscilam entre republicanos e democratas.

O presidente minimiza as pesquisas e diz confiar em sua capacidade de mobilizar multidões. Fiel a sua estratégia, concentrada em estar sempre em campanha, Trump participou, ontem à noite, de um comício na Carolina do Norte.

Já Biden ficou em sua casa de Delaware, marcando o terceiro dia consecutivo sem eventos na agenda.

E, ontem, depois de meses de uma campanha reduzida à mínima expressão e a eventos virtuais, por causa da pandemia, o ex-presidente dos EUA Barack Obama entrou em ação.

“Não podemos confiar. Não me importam as pesquisas”, frisou, em um comício na Filadélfia, no estado-chave da Pensilvânia.

Em 2016, as sondagens eram favoráveis à democrata Hillary Clinton e, ainda assim, Trump acabou ganhando a eleição de forma inesperada.

“Muita gente ficou em casa, com preguiça e confiante”, advertiu Obama, convocando os eleitores pra que isso não se repita em 2020.

Em uma incomum crítica a seu sucessor, Obama afirmou que Trump é “incapaz de levar o trabalho a sério”, durante um comício no qual o público acompanhou seu discurso de dentro de seus carros.

Obama admitiu que a pandemia teria sido “difícil” para “qualquer presidente”, mas criticou o nível de “incompetência e de desinformação” proveniente da equipe de Trump.

De Gastonia, na Carolina do Norte, Trump comemorou a entrada em cena de seu predecessor. Segundo ele, é uma boa notícia, já que ninguém fez tanta campanha quanto Obama, a favor de Hillary, em 2016.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?