Giro

Trudeau conquista segundo mandato no Canadá mas sem maioria absoluta

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, conquistou um segundo mandato nas eleições legislativas de segunda-feira (21), mas seu Partido Liberal conseguiu apenas a maioria relativa no Parlamento, o que o obrigará a buscar apoio entre os partidos pequenos para sobreviver.

Segundo resultados oficiais, os liberais de Trudeau obtiveram 157 dos 338 assentos na Câmara dos Comuns, 20 a menos do que no atual mandato, obrigando o primeiro-ministro a lidar com um governo minoritário.

Antes de iniciar a rodada de consultas com seus possíveis aliados, Trudeau visitou uma estação de metrô em Montreal na manhã desta terça-feira (22), onde tirou muitas fotos com seguidores.

Pela vitória, Trudeau recebeu pelo Twitter os parabéns do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, que incluiu o desenho de um coração na postagem na rede social.

“Há um lugar especial em nossos corações europeus para o primeiro-ministro Justin Trudeau”, escreveu Tusk.

– Mudança climática, um assunto quente –

Na noite de segunda, Trudeau falou para simpatizantes reunidos no centro de Montreal.

“Esta noite, os canadenses rejeitaram os cortes e a austeridade e votaram em um programa progressivo e numa ação forte contra as mudanças climáticas”, acrescentou.

Andrew Scheer, o líder opositor, que reconheceu a derrota e parabenizou Trudeau, advertiu que o setor petroleiro do Canadá, atingido pela queda nos preços do petróleo e capacidade insuficiente em seus oleodutos, está “sob ataque” de ativistas climáticos e pode sofrer ainda mais com as políticas ambientais de Trudeau.

“O Canadá emitiu seu julgamento sobre o governo liberal”, acrescentou Scheer. “Sua liderança está prejudicada e seu governo terminará em breve, e quando chegar a hora, os conservadores estarão prontos e terão sucesso”.

O Partido Conservador do Canadá conseguiu 121 cadeiras, mas superou os liberais na porcentagem de votos, 34,4% contra 33,1%.

– Negociações –

Trudeau deve agora se concentrar na difícil tarefa de formar um governo, levando em conta as demandas de partidos menores, mas sem os quais ele não pode governar.

O líder do Bloco Quebequense, Yves-François Blanchet, celebrou o bom resultado em Quebec, única província na qual o partido apresentou candidatos: deve praticamente triplicar o resultado de 2015.

“O Bloco pode colaborar, de acordo com o mérito, com qualquer governo. Se a proposta for boa para Quebec, podem contar conosco”, disse para sues seguidores. O BQ obteve 32 representantes, ampliando sua presença no Parlamento.

“Não quero que nosso dinheiro seja investido em petróleo porque isso está destruindo o clima”, disse Blanchet, referindo-se à nacionalização do oleoduto Trans Mountain, que liga Alberta à Colúmbia Britânica, realizada durante o primeiro governo de Trudeau por 3,46 bilhões de dólares.

Jagmeet Singh, líder do Novo Partido Democrata (NDP, esquerda), que obteve 24 cadeiras, sueprando as previsões, prometeu uma atitude “construtiva”.

“Durante os próximos dias, vou me encontrar com meu novo comitê (bancada parlamentar) para discutir como procederemos para responder às expectativas das pessoas … Vamos abordar a formação do novo parlamento com um espírito de coração aberto”, afirmou.

Em relação ao meio ambiente, Singh declarou que manterá a oposição ao oleoduto Trans Mountain e aos planos para ampliar sua capacidade.

Trudeau, um ex-professor de 47 anos, dominou a política canadense durante os quatro anos de seu primeiro mandato. Apesar disso, enfrentou uma dura campanha eleitoral, que descreveu como uma das “mais sujas” da história do Canadá.