Giro

TRE-RJ distribui mais de 17 mil urnas que serão usadas no 2º turno

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) fez neste sábado (28), véspera do pleito do segundo turno das eleições em cinco municípios do estado, a distribuição das 17.822 urnas eletrônicas que serão utilizadas amanhã (29), das quais 1.903 são de contingência, para utilização em caso de necessidade de substituição.

Em Campos dos Goytacazes, Petrópolis, Rio de Janeiro, São Gonçalo e São João de Meriti, existem 13 polos de urnas, sendo quatro no interior e nove na capital, de onde foi feita a distribuição de urnas para os 2.022 locais de votação dos quais 1.423 na capital fluminense.

O presidente do TRE-RJ, desembargador Cláudio Brandão de Oliveira, disse esperar para amanhã a realização de uma eleição “absolutamente segura” e que “em pouco tempo” as pessoas saberão quem são os candidatos eleitos.

Sobre o atraso na divulgação do resultado no primeiro turno, o desembargador afirmou que as questões técnicas foram resolvidas. “Teremos condição de apresentar um resultado num prazo menor do que ocorreu no primeiro turno”.

Ele destacou que a Justiça Eleitoral vai intensificar a fiscalização neste domingo para coibir crimes eleitorais como a boca de urna. “Qualquer abuso será identificado e as pessoas, punidas”.

O presidente do TRE-RJ reforçou que quem apresentar sintomas da covid-19 não deve comparecer aos locais de votação e terá um prazo de 60 dias para justificar a ausência no segundo turno.

Auditoria das urnas

Neste sábado, foi realizado na sede do TRE-RJ o sorteio das 15 urnas que serão usadas na Auditoria de Votação Eletrônica no segundo turno, solenidade que abrange a Auditoria de Funcionamento das Urnas Eletrônicas, antigamente chamada de votação paralela, e a Auditoria da Urna na Seção Eleitoral.

A solenidade com as duas auditorias é concluída no domingo, data do segundo turno. A auditoria para verificação do funcionamento das urnas eletrônicas sob condições normais de uso será realizada no Centro Cultural da Justiça Eleitoral (CCJE), no horário da votação oficial. Cinco das 15 urnas sorteadas e levadas ao CCJE na véspera das eleições receberão os votos em cédulas de papel que foram preenchidos por representantes de partidos políticos no dia anterior.

O objetivo é demonstrar que o resultado obtido pela apuração do voto de papel é idêntico ao resultado da apuração do voto eletrônico. A partir da comparação dos dois resultados, é possível afirmar a ausência de desvios de voto no software usado nas urnas e, portanto, de fraude no processo eletrônico de votação. Idênticas em todas as urnas eletrônicas de um município, as mídias de candidatos são geradas a partir de uma única matriz.

Já a auditoria para verificação da autenticidade e integridade dos sistemas, que é realizada na seção eleitoral, acontece antes do horário de votação, às 6h. O objetivo é verificar a autenticidade (assinaturas digitais) e a integridade (resumos digitais) dos softwares instalados nas urnas eletrônicas. Nessa auditoria, serão utilizadas as outras 10 urnas sorteadas no sábado.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel