Tragédia sem fim

Tragédia sem fim

Impactos: escombros em Bento Rodrigues, um dos locais mais afetados no desastre


Após quase três anos de espera, a mineradora Samarco e suas controladoras, a brasileira Vale e a anglo-australiana BHP Billiton, por meio da Fundação Renova, firmaram um acordo com o Ministério Público do Estado de Minas Gerais para a indenização dos atingidos pelo rompimento da barragem de Fundão, na cidade mineira de Mariana. Pelo termo, ficou estabelecido que cada indenização será tratada de forma individual. Segundo o promotor Guilherme de Sá Meneghin, a expectativa é a de que sejam pagos R$ 2 bilhões para cerca de 4 mil pessoas – o acordo é válido exclusivamente para os moradores do subdistrito de Bento Rodrigues, a 35 quilômetros de Mariana. O incidente ocorreu em 5 de novembro de 2015, quando uma enxurrada de lama destruiu casas e matou 19 pessoas. Cerca de 500 mil pessoas foram atingidas em 39 municípios mineiros e capixabas. Essa é considerada a maior tragédia socioambiental da história do País.

(Nota publicada na Edição 1091 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Transição Verde

A Comissão Europeia anunciou que investirá mais de R$ 60 bilhões nos próximos anos para reduzir as emissões de carbono e incentivar a [...]

Brasil pode ter mais emissões na pandemia

Com a pandemia gerada pela Covid-19 e consequentemente a recessão global, as emissões de gases de efeito estufa deverão recuar [...]

Tintos, brancos e rosés mais verdes

Vinhos da região do Alentejo, em Portugal, estão se destacando dos demais por um “selo” de produção sustentável. O Programa [...]

Parques para todas e todos

Uma parceria entre o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (Unops) e o Instituto Semeia e foi apoiado pela ONU [...]

Cápsulas de café em alumínio reciclado

A Nespresso, marca pioneira no mercado de cafés porcionados, anuncia que suas cápsulas serão produzidas com 80% de alumínio reciclado e [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.