Ciência

Toyota inicia projeto de cidade totalmente conectada

Crédito: AFP/Arquivos

O presidente da Toyota, Akio Toyoda, em janeiro de 2020 na CES de Las Vegas (Crédito: AFP/Arquivos)

A Toyota iniciou nesta terça-feira (23) o programa para desenvolver uma cidade totalmente conectada no Japão, um grande laboratório para todas as tecnologias do futuro, como a direção automatizada, a robótica e a inteligência artificial.

Batizado como “Woven City”, o distrito experimental – aos pés do famoso Monte Fuji (centro do Japão) – permitirá aos pesquisadores testar seus produtos, primeiro com 360 habitantes e depois com 2.000 quando o projeto for ampliado, informou a montadora japonesa.

Em cidade alagada do AC, médico usa barco para atender criança

Os cientistas e funcionários da empresa serão as cobaias do programa.



Executivos da Toyota participaram em uma cerimônia de inauguração no terreno de 175 hectares que abrigará a cidade, no mesmo local onde ficava uma fábrica da Toyota que fechou no ano passado.

“O projeto ‘Woven City’ começa oficialmente hoje”, afirmou o presidente da Toyota, Akio Toyoda, em um comunicado.

O nascimento da cidade inteligente é parte da estratégia da montadora japonesa para desenvolver novas tecnologias à medida que as mudanças nas regulamentações e nos gostos dos consumidores continuam empurrando a indústria automotiva mundial em direção a um maior respeito pelo meio ambiente, eficiência e automação.

A Toyota apresentou o projeto de “laboratório vivo” em janeiro de 2020 na feira CES de Las Vegas, com um apelo para a colaboração de investidores de todo o mundo.

O grupo japonês voltou a liderar as vendas de carros no mundo em 2020, com 9,53 milhões de veículos comercializados de todas as suas marcas, superando a concorrente alemã Volkswagen (9,3 milhões).

Os projetos de cidades conectadas se multiplicam em todo o mundo, sobretudo na América do Norte e China, com o grupo conhecido como GAFA (Google, Apple, Facebook, Amazon) de um lado e o governo chinês do outro, ao lado de gigantes locais como Huawei, Tencent e Alibaba.

Os projetos se beneficiam da aceleração da instalação da nova tecnologia móvel 5G, que deve permitir um rendimento muito maior que o 4G com um tempo de resposta mínimo.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel