Edição nº 1057 16.02 Ver ediçõs anteriores

Toro da Fiat ataca e garante o show das poderosas

Com um desempenho espetacular, a picape compacta que anda como carro desbanca até a irmã Strada e mostra o caminho para as rivais invejosas

Toro da Fiat ataca e garante o show das poderosas

Fiat Toro: finalmente uma picape conseguiu quebrar a longa hegemonia mensal da picapinha Strada

Se a Fiat resolver fazer uma campanha promocional para suas picapes, tenho uma sugestão de slogan e de artista: “ Show das poderosas”, com a cantora Anitta. Juntas, a Strada e a Toro venderam em dois meses 14.540 unidades (com uma diferença de apenas 860 unidades entre elas).

A mais vendida no acumulado ainda é a Strada, mas o brilho é mesmo da revolucionária Toro. Em fevereiro, pela primeira vez em “milênios”, a Strada perdeu o posto de mais vendida. Foi superada dentro de casa pela Toro, que conseguiu 3.582 emplacamentos, contra 3.289 da irmã.

As 14.540 picapes vendidas pela dupla Strada/Toro, da Fiat, representam o dobro do que conseguiu a dobradinha Saveiro/Amarok, da Volkswagen (7.076 vendas). E deixou na poeira a dupla S10/Montana, da Chevrolet (5.943 vendas).

A relevância desses números está no fato de que a Fiat trocou a liderança no segmento de carros baratos pela liderança no segmento de comerciais leves. Ou seja: está ganhando mais dinheiro, apesar de não ter o mesmo volume de antes. Graças à Toro, vale destacar, só a indústria de veículos comerciais apresenta números melhores do que os do primeiro bimestre de 2016 (que, aliás, já eram péssimos). Todos os outros segmentos caíram.

Já escrevi sobre o pioneirismo da Fiat no nicho de picapes aqui mesmo na REPÚBLICA DO AUTOMÓVEL, quando a Toro foi lançada. E mesmo tendo chegado depois da Renault Oroch, seu sucesso comercial é muito maior (a picape baseada no Duster vendeu 848 unidades em fevereiro e acumula 1.749, na oitava posição do ranking da categoria). Isso porque ela herdou toda a tecnologia do Jeep Renegade, outro sucesso da FCA (Fiat Chrysler Automobiles).

E aqui entra outro fator de bonança comercial da FCA, pois o Renegade agora faz dobradinha com o Compass, também da Jeep. Aliás, o Compass está à frente de seu irmão (5.812 contra 5.681 emplacamentos), pela simples razão de que é quase impossível para uma marca investir publicitariamente em dois produtos ao mesmo tempo. Como a novidade chama-se Compass, é natural que ele tenha as atenções e o dinheiro do marketing da Jeep. De qualquer forma, ambos ainda estão bem atrás do Honda HR-V, líder entre os SUVs/crossovers com 6.861 vendas acumuladas.

Voltando aos veículos comerciais, a liderança da Toro em fevereiro mostra que a Fiat acertou na mosca ao apostar em um carro que tem a versatilidade de uma picape e a dirigibilidade de um SUV. Isso porque a Toro é construída como um automóvel de passeio, ou seja, com uma carroceria monobloco. Já as picapes tradicionais (como Toyota Hilux, Ford Ranger e as citadas S10 e Amarok) são construídas como um caminhão, ou seja, com a carroceria montada sobre o chassi (duas longarinas).

A diferença na dirigibilidade dessas picapes é impressionante. É muito mais confortável, simples e seguro rodar na cidade ou na estrada com uma picape do tipo monobloco do que com uma picape de carroceria sobre chassi. As picapinhas Strada, Saveiro e Montana também são feitas em monobloco, mas seu tamanho pequeno já não atende ao consumidor que e a Fiat e a Renault identificaram para comprar uma Toro ou uma Oroch.

No novo cenário do mercado brasileiro, cada vez mais difícil para as montadoras, o show das poderosas picapes Strada e Toro vai continuar. Só falta agora a Fiat chamar Anitta para cantar.

“Prepara que agora é a hora
Do show das poderosas
Que descem e rebolam
Afrontam as fogosas
Só as que incomodam
Expulsam as invejosas
Que ficam de cara quando toca”


Mais posts

Polo, Argo, Virtus e Cronos vão ditar as regras do mercado em 2018

Saiba por que as duas novas famílias de carros da Volkswagen e da Fiat ameaçam a liderança da Chevrolet (vendas de janeiro deram o tom)

Corolla híbrido será a resposta da Toyota para o novo Honda Civic

Brasil terá a primazia de lançar um sistema híbrido flex, que fará o Corolla nacional ser o carro com motor a combustão mais ecológico [...]

Por que a Volks acertou em não chamar o Polo de Gol

Muitos especialistas queriam e alguns até apostaram que o novo Polo seria o novo Gol, mas no final prevaleceu o bom senso. Entenda a questão

Honda ultrapassa Nissan e novo Civic brilha no ranking mundial de 2017

Apesar dos esperados títulos da Toyota e do Corolla como marca e carro mais vendidos do mundo, o crescimento da Honda e do Civic foram [...]

Jeep Compass explode nas buscas do Mercado Livre e sobe 295% em apenas um semestre

O SUV mais vendido do País rouba o lugar do Honda HR-V no ranking dos 10 carros mais procurados no varejo eletrônico
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.