Giro

Times brasileiros têm pior início internacional na Copa Sul-Americana


O Fortaleza foi o quarto time brasileiro a se despedir ainda na primeira fase da Copa Sul-Americana deste ano. O tricolor cearense venceu o Independiente por 2 a 1 na Arena Castelão, mas o gol fora de casa marcado pelos argentinos na quinta-feira (27) fez a diferença, já que os rivais estavam empatados no agregado dos jogos de ida e volta.

A equipe nordestina faz companhia a Goiás, Atlético-MG e Fluminense, que também já foram eliminados – só Vasco e Bahia continuam na competição. É a primeira vez que tantos representantes do país deixam o torneio continental tão cedo no confronto com clubes do exterior.

Até 2017, as equipes brasileiras jogavam entre si nas fases iniciais da Sul-Americana e só enfrentavam rivais de fora a partir das oitavas de final. Em cinco edições (2006, 2009, 2011, 2013 e 2014), o país teve três times eliminados logo no primeiro embate internacional. No ano passado – já com os clubes do Brasil pegando os do exterior desde as fases iniciais – foram três representantes a se despedirem precocemente (Bahia, Santos e Chapecoense).

A equipe comandada por Rogério Ceni esteve próxima de impedir a inédita quarta eliminação brasileira na primeira fase internacional. Empurrado por mais de 52 mil torcedores, o Fortaleza dominou o Independiente – que é o maior campeão da Libertadores, com sete títulos – e abriu 2 a 0, com Juninho (de pênalti) e Marlon. Aos 47 minutos do segundo tempo, Bustos frustrou a torcida na Arena Castelão para classificar o “Rey de Copas” para a próxima fase.

Em outros dois confrontos de quinta-feira (27) pela Sul-Americana, os uruguaios do Plaza Colonia superaram o Zamora, da Venezuela, por 3 a 0 e se classificaram (3 a 1 no agregado).

Quem também segue no torneio é o Audax Italiano. Após a derrota por 2 a 0 fora de casa, os chilenos fizeram 3 a 0 no Cusco, do Peru, e avançaram para a segunda fase, com 3 a 2 na soma dos resultados.