Edição nº 1147 18.11 Ver ediçõs anteriores

Tiffany agora identifica origem de todos os seus diamantes

Os chamados “diamantes de sangue” são joias extraídas de regiões em guerra e sob o controle de milícias criminosas. Cada vez mais as joalherias aderem a um movimento global para tirar essas pedras do mercado. A Tiffany&Co. acaba de anunciar que vai compartilhar com seus clientes a proveniência (região ou país) de todos os diamantes comercializados por ela. Eles serão registrados com um número de série “T&Co” exclusivo, gravado a laser e invisível a olho nu. A partir de 2020, a Tiffany também informará a localização das oficinas de lapidação e polimento das pedras. Essa prática já tem a adesão de várias joalheiras de alto luxo. No ano passado, a Chopard anunciou o uso de ouro 100% ético – livre de ilegalidades morais, sociais e ambientais.

(Nota publicada na Edição 1104 da Revista Dinheiro)


Mais posts

A luxuosa suíte Kipling, um local que respira literatura

Por quase 200 anos, o primeiro hotel de Londres, o Brown’s Hotel, tem desempenhado um papel significativo na história literária, [...]

A Cartier não decepciona

A Cartier Baignoire, casa de artigos de luxo francesa, nunca teve problemas para atrair mulheres. Este ano foi uma das poucas marcas [...]

Perca peso em cadeira de luxo

A empresa F.Way em parceria com a empresa japonesa Kokuyo, umas das líderes mundiais em mobiliário corporativo, traz com exclusividade [...]

Caranguejo-da-neve mais caro do mundo

A temporada de caranguejos no Japão começou com um estrondo. Isso porque um crustáceo capturado nas águas da cidade de Tottori foi [...]

Sustentabilidade e estilo

A Scooter&Cia, importadora de veículos elétricos, traz para o mercado brasileiro uma linha de scooters imersas na inspiração [...]
Ver mais