Tecnologia

“The bot is on the table”

Como uma ferramenta baseada em Inteligência Artificial desenvolvida em parceria com a IBM aprimora o ensino de idiomas na rede Wizard

Crédito: Divulgação

Piero Franceschi, vice-presidente de Franquias da Pearson (Crédito: Divulgação)

No princípio era o verbo. Depois vieram o sujeito, o pronome, o advérbio e tudo o mais que forma uma oração. Ainda que a grande maioria dos humanos seja capaz de aprender a ler e a escrever em seu idioma nativo, nem todos têm a mesma facilidade para ser proficiente em uma língua estrangeira. Talvez a razão esteja no método de ensino. Como se sabe, por décadas as aulas de inglês seguiram um protocolo padrão, partindo de frases elementares como “the book is on the table”. Felizmente, a tecnologia evolui também para facilitar o aprendizado. Agora, o que está sobre a mesa não é mais apenas um livro, mas sim algo mais parecido com um robô. Ou bot, na expressão de quem entende de tecnologia.



Em parceria com a IBM, a rede Wizard by Pearson desenvolveu o Wiz.me, assistente que usa Inteligência Artificial para o ensino de idiomas. Mais que ouvir e responder a perguntas dos alunos ou dar feedback sobre a pronúncia, oferece recursos como games para disputas sobre conhecimento entre os alunos, um scanner que permite a interação com textos e objetos para “traduzi-los” ao usuário, e até ferramentas para medir o progresso do aprendizado.

Na palma da mão: o aplicativo que ajuda o aluno a aprender inglês: de game a escaneamento de objetos (Crédito:Marcelo Js)

SMALL DATA “Usamos o conceito de ensino hídribo, ou blended learning, que expande o aprendizado por meio da combinação entre a tecnologia e a experiência presencial em sala de aula”, diz Piero Franceschi, vice-presidente de Franquias da Pearson, dona da rede Wizard, com 300 mil matriculados em todo o Brasil. “A tecnologia ajuda a engajar o aluno em um processo contínuo de vivenciar o idioma fora da escola”, afirma. Segundo pesquisas da própria Pearson, os recursos digitais oferecidos pela rede elevam em até 15% as notas dos alunos, na comparação com os que não usam o Wiz.me. A ferramenta tem cerca de 1,2 milhão de acessos por mês.

Entre os recursos mais utilizados está o Clash Hero, jogo de perguntas e respostas em que todos os alunos da rede competem entre si sobre conhecimentos gerais, em inglês. A plataforma avalia cada participante e mostra sua colocação em um ranking. “Ao mesmo tempo, um algoritmo interpreta as dificuldades de aprendizado e gera uma solução pedagógica específica”, afirma Franceschi. “É o que nós chamamos de small data, uma aplicação prática das informações coletadas de cada aluno durante sua jornada de interação com a ferramenta”. E as funcionalidades não param por aí. Espécie de dicionário multimídia, o Object Scan permite apontar a câmera do celular para um objeto e receber informações sobre a grafia e a pronúncia do nome em inglês. Com um robô amigo no lugar do velho e bom livro fica bem mais fácil aprender inglês.

+ O economista Paulo Gala revela os caminhos para investir bem em 2022




Saiba mais
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto