Ciência

Tesla quer supreender com novos anúncios sobre veículos elétricos

Crédito: AFP/Arquivos

O presidente da Tesla, Elon Musk, visita fábrica na Alemanha em 3 de setembro de 2020 - AFP/Arquivos (Crédito: AFP/Arquivos)

A Tesla, que revolucionou o mercado de automóveis elétricos, organiza nesta terça-feira um “Dia da Bateria”, com a previsão de anúncios “insanos”, como prometeu o presidente da empresa, Elon Musk.

O empresário já antecipou o anúncio de novidades sobre “a produção a longo prazo, concretamente do Semi, do Cybertruck e do Roadster”, mas as mudanças não serão concretizadas “antes de 2022”.

Tesla quer desenvolver videogames automotivos

Tesla aproveita alta nas ações e anuncia venda de US$ 5 bi em papéis

Há várias semanas, os boatos sobre quais seriam os anúncios do grupo são intensos. Alguns analistas perguntam se a Tesla deseja começar a fabricar as próprias células de bateria, em detrimento dos grandes nomes do setor como Panasonic e LG.

Musk garantiu que o número de compras da Tesla a seus fornecedores vai “aumentar e não reduzir”, mas não fechou a porta a que a empresa “assuma o controle” para evitar escassez.

Há alguns dias, Musk prometeu que revelaria “diversas coisas apaixonantes” no evento, que foi adiado várias vezes.

A Tesla quer ter um papel importante no setor de baterias, um elemento chave para o futuro dos veículos elétricos, com o objetivo de melhorar sua posição na comparação com outras montadoras.

Para o analista Adam Jonas, do Morgan Stanley, a apresentação pode “mudar o discurso” sobre a Tesla e o mercado de baterias.

Além disso, o evento terá uma importância especial depois que nas últimas semanas se multiplicaram os anúncios no setor dos veículos elétricos, aponta Dan Ives, analista de Wedbush.

Ives afirma que Musk poderia apresentar uma bateria capaz de circular 1,61 milhão quilômetros, o que representa uma grande vantagem competitiva ante os veículos que funcionam com combustível, tanto em termos de retorno do investimento como para o meio ambiente.

Outro tema que chama a atenção é a possível redução do custo da bateria, abaixo de 100 dólares quilowatt-hora. Isto reduziria o preço final dos carros elétricos, ressalta Ives.

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?