Negócios

Tesla é processada em US$ 1,7 milhão por calote em fornecedora

A metalúrgica Lebronze Alloys processa a Tesla após a empresa anunciar quebra de contrato assinado em 2016 diante da diminuição dos pedidos de carros

Tesla é processada em US$ 1,7 milhão por calote em fornecedora

Concessionária da Tesla no Brooklyn - GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP

Segundo a Lebronze Alloys, a Tesla, montadora de carros elétricos de Elon Musk, é caloteira, e por conta disso a metalúrgica francesa irá processar a marca em US$ 1,7 milhão. Segundo o texto do ação legal, a Lebronze fornece material para a produção dos carros desde 2016, ano em que foi firmado acordo que previa a produção de 1,5 milhões de veículos da Tesla. Porém em abril deste ano, a montadora contactou a metalúrgica para uma reunião de emergência em que a notificou verbalmente o fim do acordo vigente e propondo um emenda no contrato.

A Lebronze disse que a ação da Tesla constitue uma quebra de contrato, o que motivou o processo. Agora a francesa exige judicialmente o pagamento de cerca de US$ 1,7 milhões por parte da montadora sobre pagamentos previstos no acordo que não foram efetuados, além do reembolso de possíveis custos legais. Um dos motivos da quebra do contrato é a queda de expectativas de vendas da Tesla, que caiu para 250 mil unidades neste trimestre e que acarretou na queda do valor das ações da empresa.

“A LBA realizou diversos esforços para que a Tesla pagasse as dívidas com a LBA. A Lebronze convocou reuniões, enviou emails e cartas e realizou diversos telefonemas para fazer com que a Tesla pagasse o que devia, responder qualquer dúvida por parte da montadora e para resolver a questão. Além disso, a LBA exige agora diversas garantias de performance por parte da Tesla”, diz um trecho do processo movido pela empresa metalúrgica.