TV DINHEIRO

“Tenho muita esperança que as próximas lideranças do País tenham a capacidade de fazer as reformas”, diz CEO da Multiplus

No programa MOEDA FORTE desta semana, Carlos Sambrana, diretor de redação da ISTOÉ DINHEIRO, recebe Roberto Medeiros, CEO da Multiplus. A companhia foi pioneira na área de programas de coalizão e, mesmo tendo sido fundada em 2009, a Multiplus ainda precisa mostrar para as pessoas as vantagens de acumular pontos.

Nesta entrevista, Medeiros conta quais são os planos futuros da empresa, que faturou R$ 2,45 bilhões em 2017, tem mais de 19,4 milhões de clientes e emitiu 92 bilhões de pontos no ano passado – 75,7 bilhões de pontos foram resgatados.

Neste quinto bloco (acima), ele fala sobre a situação do Brasil. De acordo com o executivo, a Multiplus continuou crescendo independentemente de variável macroeconômica e de fatores políticos. “Fizemos nosso dever de casa e não tivemos nenhum impacto na companhia durante a crise”, diz. Na avaliação de Medeiros, o Brasil precisa de uma liderança que olhe para a população menos favorecida e também para quem gera emprego. “O governo precisa dialogar com o empresariado e ter foco em educação, saúde e segurança”, afirma.

BLOCO 4

Medeiros fala sobre o comportamento do consumo dos clientes. De acordo com Medeiros, hoje a maioria dos clientes da Multiplus são das classes A, B e C+, porém, a companhia quer derrubar o mito de que para acumular pontos é preciso ter um consumo muito alto. “Dos nossos 19,4 milhões de clientes, 30% já são da classe C”, diz. O executivo também conta que todo ano a empresa faz uma espécie de campeonato de startups para investir e fazer parcerias. “Temos interesse em startups que estejam voltadas para programas de coalizão”, afirma.

BLOCO 3

Medeiros fala sobre parceiras com outras empresas. De acordo com o executivo, a companhia faz pesquisas constantes para entender o que os clientes querem e atingiu uma estabilidade de 300 parceiros por ano. “Temos nos concentrado nos parceiros que permitem a transferência de pontos online”, afirma. Além disso, segundo Medeiros, a Multiplus quer que as pessoas vejam valor em acumular pontos. “Dos 90 bilhões de pontos emitidos no ano passado, 75 bilhões foram resgatados”, afirma.

BLOCO 2

Neste segundo bloco (acima), ele fala sobre novos negócios e expansão internacional. De acordo com Medeiros, 2017 foi um ano bastante importante porque a companhia continuou crescendo e lançou o primeiro cartão co-branding com o Itáu. “As novas fontes de acúmulo de pontos estão trazendo mais clientes”, afirma. Depois de entrar no mercado paraguaio, a empresa vai atuar nos Estados Unidos e na Europa. “Estamos fazendo parcerias para que o nosso cliente possa fazer compras nesses países e acumular pontos”, diz. Nos Estados Unidos, o foco estará voltado para Miami e Orlando. Na Europa, Medeiros conta que entrará em países latinos como Portugal, Espanha e Itália.

BLOCO 1

Medeiros fala sobre desafios e como trabalha para popularizar o programa de coalizão, que já conta com mais de 300 parceiros. Segundo Medeiros, hoje as pessoas constroem uma poupança de pontos a partir de várias fontes diferentes. “A maioria dos clientes usa Cabify, coloca combustível, faz reserva em hotel, hostel e Airbnb”, afirma. O executivo destaca ainda que a Multiplus criou um ecossistema em função daquilo que os participantes gostariam de ter. “Hoje 85% dos pontos resgatados são para voar”, diz.