Tecnologia gritante

Tecnologia gritante

Obra-prima de Edvard Munch, a tela ‘O Grito’ está desbotando. Mas o que a tecnologia tem a ver com o problema em uma pintura com mais de 100 anos? Não tem a ver com o problema, mas sim com a solução. Alta tecnologia de raios X, lasers e até microscópios eletrônicos de forte potência estão sendo usados por cientistas para descobrir por que cores brilhantes, como os amarelos e laranjas, estão ficando brancas. A versão do quadro que perde os tons é de 1910. Uma das quatro versões foi arrematada em 2012, em leilão realizado em Nova York, pela bagatela de US$ 119,9 milhões.

(Nota publicada na edição 1159 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Na Inglaterra, o futuro da mobilidade

Há países em que o futuro chega. Tipo, a Inglaterra. Um projeto intitulado Midlands Future Mobility (MFM) vai equipar uma rede de 160km [...]

Top 4, crimes da quarentena

AUXÍLIO VIA CEF Quase para surpresa de ninguém, desde que foi anunciado pelo governo o Auxílio Emergencial de R$ 600 para profissionais [...]

Gorjetas crescem 278%

Até existe um Brasil que funciona e sabe o que é empatia. A plataforma James, que atua em 18 cidades com entregas em menos de uma hora, [...]

Bandidagem na Covid-19

Vamos combinar que o mundo é um lugar polimorfo perverso. Isso significa que suas manifestações de maldade e ladroagem se adaptam e se transformam o tempo todo, o que vale para momento extremos como a da crise provocada pelo novo coronavírus. Segundo Sandro Suffert, CEO da Apura S/A, empresa de segurança cibernética, “cada vez mais […]

Plataforma Kzas zera comissão até junho

Imobilizar patrimônio numa época como a atual é tarefa para quem tem excesso de liquidez. Para dar velocidade ao mercado, a plataforma [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.