Finanças

Taxas futuras de juros têm recuo modesto após decepção com vendas no varejo

Os juros futuros recuam levemente nesta manhã em toda a curva, ao redor de 2 ou 3 pontos-base, após as vendas no varejo terem mostrado desempenho fraco em dezembro e em 2019, abaixo das medianas tanto no âmbito restrito como no ampliado e no consolidado para 2019.

O desempenho fraco pode ampliar marginalmente a precificação de corte da Selic em março (hoje de menos de 10%) e reduzir o prêmio de risco que aponta chance de alta da taxa este ano. O movimento dos juros se dá na contramão do dólar à vista, que está em alta ante o real.



+ Dólar tem recorde do Plano Real a R$ 4,34 após varejo fraco e sinais de juros
+ Taxas futuras de juros renovam mínimas com leitura ‘dovish’ da ata e dólar fraco

Às 9h07 desta quarta-feira, a taxa do depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2021 estava em 4,215%, de 4,235% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2023 marcava 5,39%, de 5,42%, enquanto o vencimento para janeiro de 2025 exibia 6,05%, na máxima, de 6,07% no ajuste anterior.

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia




Tópicos

taxas de juros